Estímulo Auditivo (Neurociência)


Você sabia que o estímulo auditivo afeta o cérebro também em regiões não DIRETAMENTE relacionadas ao processamento do SOM?


Estruturas do sistema límbico (como amígdala e hipocampo) recebem estímulos auditivos de forma direta e indireta e o excesso de barulho pode induzir modificações na estrutura e na função dessas áreas cerebrais.


A amígdala é particularmente sensível a sons com algum significado, como o som da voz e das vocalizações, o choro ou a música. A amígdala desempenha um papel central no condicionamento auditivo do medo e na regulação da resposta acústica de sobressalto.


Estímulos acústicos estressantes, como o ruído, ativam a amígdala e causam a liberação de hormônios relacionados ao estresse, como o cortisol.


A exposição ao excesso de barulho também afeta a neurogênese e a potenciação de longa duração no hipocampo, impactando negativamente a neuroplasticidade, o aprendizado e a memória.


Fique atento para não sobrecarregar a amígdala e o hipocampo com o excesso de barulho para não ocasionar efeitos negativos - que podem variar desde a redução da performance cognitiva, dificuldades de foco e atenção, aprendizado e memória até problemas relacionados à saúde mental.


Fonte:

Kraus KS, Canlon B. Neuronal connectivity and interactions between the auditory and limbic systems. Effects of noise and tinnitus. Hear Res. 2012 Jun;288(1-2):34-46. doi: 10.1016/j.heares.2012.02.009. Epub 2012 Mar 7. PMID: 22440225.

Instagram diadneuro

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo