Posted by Dayane Iglesias |

Curso de Horta do Canal do Youtube Borellistudio

Este curso online e gratuito disponibilizado pelo BorelliStudio – um canal de vídeos educativos e de entretenimento de alta qualidade – é composto de 10 videoaulas. A duração de cada videoaula é de cerca de 30 minutos. Veja abaixo:
Aula 1 – A Horta Orgânica – (27m:23s);
Aula 2 – Composição do Solo e Adubos – (27:15);
Aula 3 – O Plantio (Primeira parte) – (28:24);
Aula 4 – O Plantio (Segunda parte) – (25:54);
Aula 5 – As culturas – (24:48);
Aula 6 – A Horta em Vasos – (27:27);
Aula 7 – Controle de pragas e doenças (Primeira parte) – (25:52);
Aula 8 – Controle de Pragas e Enfermidades (segunda parte) – (25:52);
Aula 9 – Cuidados e manutenção de uma horta orgânica – (28:22)
Aula 10 – A Colheita – (26:58).


Todas as videoaulas estão disponíveis com áudio em espanhol, mas todas são legendadas em português.
Para ter acesso ao curso siga este link.

2 – Como fazer uma horta do Minicursos Acessa SP

Curso online e gratuito composto de 4 lições.
Na 1ª lição você aprenderá, dentre outros assuntos, sobre o valor das hortaliças, hortas comunitárias e como cultivar suas hortaliças em diversos recipientes, como por exemplo: caixas vazias de leite longa vida, tubos de PVC, pneus e caixotes de madeira.
A 2ª lição aborda as condições do terreno das hortaliças, as ferramentas necessárias, o uso de sementes ou mudas, os adubos, dentre outros itens.
Na 3ª lição do Minicurso – Como fazer uma horta – os tópicos estudados são os seguintes: Escolha o que plantar, o plantio e tempo de colheita.
Na 4ª e última lição você vai aprender sobre o bom desenvolvimento das plantas, irrigação, controle de pragas e doenças e receitas caseiras para combater pragas.
Atestado: é gerado na conclusão do Minicurso de forma automática. 
Para acessar este curso clique aqui.
Posted by Dayane Iglesias |
Você tem uma empresa local e quer aumentar o número de check-ins? Há uma maneira muito simples e fácil de fazer isso. Você pode começar a usar o Wi-Fi do Facebook!
É isso mesmo,o Facebook possui um recurso que transforma a sua empresa em um hotspot, ou seja, uma forma de oferecer acesso à internet sem fio em troca de um check-in. Há algum tempo essa função está liberada para empresas que querem aumentar o número de visitantes nas suas lojas físicas e a divulgação espontânea nas redes sociais.

VOCÊ SABE A IMPORTÂNCIA DO CHECK-IN NO FACEBOOK?

Hoje em dia, as redes sociais fazem diferença na hora da escolha de um local para almoçar, sair com os amigos ou passear com a família. Isso porque, é muito mais interessante ir à um lugar recomendado por seus amigos do que ir à um lugar que ninguém conhece. Não é mesmo? O risco de se decepcionar acaba sendo bem menor.
Sabendo disso, as empresas precisam estar presentes nas redes sociais e também criar um ambiente físico agradável que atraia novos clientes e o mais importante, que os fidelize.
Quando alguém faz check-in no Facebook, mesmo sem querer, ele está divulgando o local para seus amigos. Para as empresas, o mais legal de tudo isso é que ela ganhará uma divulgação do seu negócio sem custo algum.

O QUE É O WI-FI DO FACEBOOK

Muitas vezes as pessoas querem fazer check-in em alguns locais, mas por alguns motivos como: não ter dados no 3G ou ficarem com vergonha de pedir a senha, não fazem. Por isso, o Wi-Fi do Facebook é super vantajoso!
Quando você configura o Wi-Fi do Facebook na sua empresa, os seus clientes precisam apenas fazer um check-in no local para que o acesso à internet seja liberado.
Para o negócio é uma vantagem, pois em troca do acesso à internet, o cliente divulga sua marca no Facebook. Se o seu negócio apenas oferece a senha do Wi-Fi, pode estar perdendo a oportunidade de ter sua marca divulgada espontaneamente.

COMO CONFIGURAR O WI-FI DO FACEBOOK PARA O SEU NEGÓCIO

Os dois primeiros passos para quem quer configurar o Wi-Fi do Facebook são:
  • Ter uma página no Facebook e ser o administrador dela;
  • Ter um roteador compatível (confira a lista abaixo).
Após essas duas etapas, você deve seguir os passos abaixo:

Passo 1

Faça o login no seu perfil do Facebook.

Passo 2

Com um roteador compatível ao recurso, ative a opção de login com o Facebook. Segundo o Facebook, cada roteador possui um processo diferente.

ROTEADORES COMPATÍVEIS COM O WI-FI DO FACEBOOK

Não são todos os roteadores do mercado que possuem a função disponível, apesar do Facebook anunciar que está expandindo suas parcerias. Na central de ajuda do Facebook, foi divulgada uma lista com os roteadores compatíveis com o recurso. Olha só:
  • Produtos sem fio Meraki
  • Produtos sem fio Cisco
  • Roteador WiFi NETGEAR AC1750
  • Roteador D-Link Facebook Wi-Fi AC1750 (DIR-865L)
  • Produtos sem fio Open-Mesh
  • Produtos sem fio Aruba Networks
  • Roteador HotSpot 300 Intelbras
  • Produtos Ruckus Wireless
  • Roteadores ASUS RT-AC68U, RT-N18U, DSL-AC68U e DSL-AC68R

COMO CONFIGURAR O ROTEADOR COM O WI-FI DO FACEBOOK

Cada roteador é configurado de uma maneira diferente. Se você ficar com alguma dúvida no momento da instalação, aconselhamos que você entre em contato com um especialista ou um técnico de informática para ajudar você.
Separamos um guia de cada um deles para te ajudar:

Meraki:

No manual de instruções do roteador, você pode encontrar o endereço para acesso ao menu de configurações.  No menu “Página de Destaque”, selecione “Conectar-se com o Facebook”.

Cisco:

Acesse o menu de configurações descrito no manual do aparelho e faça login no painel Connect & Engage do seu roteador. Após essa etapa, encontre o menu e selecione a opção “Facebook Wi-Fi”.

NETGEAR:

Para iniciar o processo, acesse o site: www.routerlogin.net. Depois, clique na guia “Avançado” e em seguida em “Wi-Fi do Facebook” e confirme em “Configurar”.

D-Link:

No seu navegador, acesse endereço: dlinkrouter.local. Depois você deve clicar na guia “Setup > Guest Zone”.  Então, serão abertas na tela algumas opções e você deve marcar as caixas “Enable Guest Zones” e “Enable Facebook Wi-Fi”.

Open-Mesh:

Acesse em seu navegador o endereço: www.cloudtrax.com. Então, na seção “SSID #1 Splash Page” você deve clicar na opção “Facebook Wi-Fi”.

Aruba:

Se o seu roteador for o Aruba, no menu de configurações do roteador você deve selecionar a opção de se inscrever no “Wi-Fi Facebook” e, em seguida, configurar a duração da sessão e os termos de serviço.

Intelbras:

No manual do aparelho, você vai encontrar o número de IP para acessar o menu de configurações do roteador, insira ele em seu navegador para iniciar o assistente de instalação. Em seguida é só você selecionar a opção “Facebook” para o acesso ao Wi-Fi.

Ruckus Wireless:

Faça o login no menu de configurações do seu aparelho ZoneDirector. Após esse passo, siga o caminho: clique em Configurar > WLANs > Criar WLAN > para o Tipo do WLAN. Então, selecione “Mídia social” para fazer o Login. Por último, selecione a opção “Facebook”.

ASUS:

No seu navegador, digite manualmente o endereço IP padrão do roteador wireless, 192.168.1.1, ou digite http://router.asus.com e faça o seu login. Agora, selecione a opção “Rede de convidado” e na sequência “Wi-Fi do Facebook”. Então, é só habilitar.
Após instalado o Wi-Fi do Facebook, é só você aproveitar todas as vantagens desse recurso!

Fonte: 
Camile Woinarski
Posted by Dayane Iglesias |

TOP 10 BANCOS DE IMAGENS 

1. FREE STOCK PHOTOS BANK

Para quem procura uma grande quantidade de fotos com alta qualidade, o banco de imagens Free Stock Photos Bank é uma grande dica.
O site conta com uma comunidade de fotógrafos profissionais em todo o mundo e dispensa cadastro no momento de baixar suas imagens.
Para quem quer uma gama maior de imagens à disposição, algumas sessões possuem fotos que precisam ser compradas. Mas, a principio a maioria das imagens são gratuitas.





2. FREE IMAGES

Com mais de 350 mil fotos e imagens, é um acervo de imagens que está crescendo cada dia mais, principalmente devido a facilidade de acesso no site.
No Free Images é fácil encontrar o que você procura, todas as imagens são separadas por categorias e também você pode buscar imagens pela “palavra-chave” do objeto que você está precisando.
As imagens desse site podem ser utilizadas para fins comerciais, recreativos ou artísticos. Se o seu objetivo for outro, talvez seja melhor você procurar outro banco de imagens para não se complicar.
Para começar a baixar as imagens, você só precisa fazer um cadastro no site 😉
2 freeimages


3. FREE PIK

Particularmente, eu já usei muitas imagens desse site para fazer trabalhos da faculdade.
O site é bastante prático e já conta com mais de um milhão e meio de imagens e fotografias gratuitas. Além de fotografias, conta com vetores grátis para quem quer se aventurar em programas gráficos como o Illustrator da Adobe, por exemplo.
Ao clicar em uma imagem, você consegue ter acesso ao tipo de licença e a procedência da imagem. Então, é só baixar a imagem que deseja!

3 Vectores gratis, fotos y PSD

4. MORGUEFILE

Com um design limpo e prático, o MorgueFile é um dos bancos de imagens com ótima qualidade e, o melhor, gratuitas!
Nesse site, você pode escolher as suas imagens favoritas de vários estilos diferentes e fazer o download delas sem cadastro. Também possui um campo de busca para facilitar a sua pesquisa pela imagem perfeita.

4 Morguefile.com free stock photos

5. PIXABAY

No Pixabay você vai encontrar imagens, vetores, ilustrações e vídeos gratuitos que você pode usar aonde quiser e da maneira que desejar, livre de direitos autorais.
São mais de 680 mil imagens em alta qualidade que você pode procurar por: categoria, tamanho, cor e até orientação da página (vertical ou horizontal).
5 Imagens gratis - Pixabay -

6. RGBSTOCK

O banco de imagens foi criado por fotógrafos e ilustradores, tem uma grande quantidade de fotos de alta resolução. É possível você buscar as imagens por “palavras-chave” e também por categorias.
Para baixar imagens, é necessário que você faça um cadastro rápido 😉
6. rgbstock.com - free stock photos


7. FLICKR

O Flickr é a mais tradicional comunidade de fotógrafos da atualidade. Mas, você sabia que vários fotógrafos compartilham seus trabalhos gratuitamente?
Então, o Flickr pode sim se tornar um banco de imagens poderoso para você.
Basta você fazer uma Busca Avançada com um filtro para encontrar apenas trabalhos com a licença Creative Commons. Acesse aqui para fazer a busca avançada!
Lembre de sempre buscar apenas no conteúdo licenciado pelo Creative Commons!
7 Flickr

8. DREAMSTIME

O Dreamstime possui uma galeria com mais de 9 milhões de fotografias!
É um dos banco de imagens com maior número de acessos diários. A grande maioria de suas imagens são gratuitas, mas você também pode encontrar imagens que precisam ser pagas.
É possível encontrar imagens perfeitas pelo buscador e também pelas categorias do site. Conheça um pouco do banco de imagens:
8 dreamstime


9. FREE DIGITAL PHOTOS

É um site com galerias de imagens totalmente livres de direitos autoriais e categorizadas com vários temas diferentes. Grande parte das imagens é produzida por fotógrafos, ilustradores e designers.
Por isso, as imagens são de alta qualidade e o banco de imagens free é ótimo:
9 free

10. FREERANGESTOCK

Para baixar imagens do Freerangestock, você precisa fazer um cadastro no site. A vantagem desse banco de imagens, é que a quantidade de imagens para baixar é ilimitada, ou seja, você pode baixar quantas imagens quiser.
Para quem gosta de agilidade para encontrar imagens, é um site bem organizado com um sistema de buscas bastante eficiente.
fonte: Camila porto
bancos de imagens-10 Freerange Stock
Posted by Dayane Iglesias |
O Alexa, serviço da Amazon que realiza estudos e fornece estatísticas sobre sites do mundo todo, aponta a rede social como o segundo site mais visitado do Brasil, atrás apenas do Google.
Se o marketing digital tem um impacto cada vez mais forte, um canal popular e de amplo alcance como o Facebook não pode ser ignorado. Utilizada pelos mais diversos públicos, a rede social não apenas oferece recursos para que você encontre a clientela em potencial para o seu negócio, como também mantenha contato com ela.
Ainda não está convencido de que vale a pena investir na plataforma? Confira um infográfico especial que preparamos sobre o tema:

Posted by Dayane Iglesias |
Experiência de Usuário (UX) é um termo para o nível de satisfação geral dos usuários enquanto usam o seu produto ou sistema. Se for uma boa experiência, eles estão felizes. Se for uma má experiência, seus clientes não voltam, e eles contam para todos os seus amigos... e o Google. O User Experiance Design (UX DESIGN), é uma área da comunicação que abrange todos os aspectos da interação do usuário com a empresa, marca, seus serviços e produtos. É um assunto muito abordado entre os designers e gestores do meio digital, e é um trabalho muito importante para as empresas que trabalham ou tem seus serviços divulgados na internet. Seu intuíto é tornar a experiência do usuário com a marca ou empresa, algo realmente inesquecível e efetivo.
 
O requisito básico para um excelente UX Design, é atender às necessidades específicas do usuário/cliente. É necessário usar elementos visuais, diagramação e arquitetura que realmente reflita o que o usuário espera. Usar um pouco de minimalismo é importante, a simplicidade e elegância produzem uma linguagem que transmitem o sentimento de importância e posse ao usuário em relação a empresa.
 
Mas, vale lembrar que o trabalho de um bom UX Design, vai além da experiência com o usuário, sim, é um processo que envolve a equipe digital. Quase sempre é necessário reuniões com o planejador, programadores, gerentes de marketing digital e gerentes de projetos, para definir os próximos passos para a otimização do UX design da empresa. É um trabalho que vai muito além de dar aos usuários o que eles apontam que querem, é um ciclo constante, que envolve testes de interatividade, tecnologias da navegação, estudo de comportamento, análises de origem e efetividades de conversões, e até mesmo, o que seu usuário fará depois de ser impactado por sua marca.
 
UX = soma de uma série de interações 
 
Experiência de Usuário (UX) representa a percepção deixada na mente das pessoas depois de uma série de interações entre as pessoas, objetos e eventos – ou uma combinação entre eles. “Série” é a palavra chave.
 
Algumas interações são ativas: sair da chuva durante um piquenique.
 
Algumas interações são passivas: ver um lindo pôr do sol vai ativar o sistema límbico e liberar dopamina (uma recompensa química).
 
Algumas interações são secundárias para a experiência máxima, a comida é deliciosa, pois o chef escolheu ingredientes de qualidade e os preparou bem. Os ingredientes são de boa qualidade, pois o fazendeiro cuidou bem de seus campos. A colheita interagiu bem com a chuva naquele ano...
 
Todas as interações são abertas a interpretações subjetivas, algumas pessoas não gostam de celeiros ou pores do sol. Lembre-se que percepção é sempre verdadeira na mente do percebedor. Se você pensa que um por do sol é deprimente, não há muita coisa que podemos fazer para lhe convencer do contrario. Por outro lado, esse é o motivo o qual designers normalmente utilizam de “boas práticas” – a maioria das pessoas responde positivamente a pores do sol.
 
Clique para ver a imagem na resolução original.
 
UX design = combina três tipos de atividades
 
Projetar a “experiência de usuário”, portanto, representa a ação consciente:
 
• coordenar interações que podem ser checadas (selecionar ingredientes da comida, treinar garçons, projetar e programar botões).
 
• Interações cognitivas que estão for a de nosso controle (cadeiras desconfortáveis em um teatro de 100 anos, falta de produtos frescos no inverno, um céu nublado encobrindo o por do sol.)
 
• Reduzir as interações negativas (providenciando tendas como abrigos de emergência para eventos externos em caso de chuva, tendo certeza que o assento do restaurante próximo a uma cozinha barulhenta é o ultimo a ser preenchido, colocando espaço extra para que pessoas possam esticar as pernas.)
 
Um bom UX designer deve ser capaz de ver tanto a floresta como as arvores. Isso quer dizer que UX tem implicações que vão muito além de usabilidade, design gráfico e necessidades físicas. Como UX designers, nós orquestramos séries de interações complexas.
Posted by Dayane Iglesias |
Adotar medidas simples, mas eficientes, pode ser o diferencial que falta para aumentar o percentual de compras na sua loja virtual.

Como transformar visitas na loja virtual em vendas? Aumentar a taxa de conversão é o maior dilema de qualquer comércio eletrônico. Perguntas como “por que a maior parte dos usuários deixam o site sem comprar nada?” e “como reduzir o abandono de carrinhos que já tinham produtos selecionados?” povoam a mente dos empreendedores voltados para o segmento online.
De acordo com pesquisa da Experian Hitwise, a taxa média de conversão brasileira é baixíssima: apenas 1,65%. No entanto, existe uma série de medidas e cuidados que podem ajudar – e muito – a melhorar esse índice.
O primeiro passo para aumentar as vendas é conhecer bem o perfil do consumidor que navega no seu site. Para isso, é fundamental utilizar ferramentas como o Google Analytics. Com ele, é possível saber, por exemplo, de onde os usuários vêm, quanto tempo eles navegam, quais são os conteúdos mais buscados e a taxa de abandono das páginas. Com essas, e muitas outras, informações em mãos, é possível adequar o site de modo que ele atenda às necessidades e expectativas do usuário. Afinal, se eu sei quais são os conteúdos mais buscados pelos usuários, vou colocá-los em destaque, não é mesmo?
Outra forma de conhecer o público-alvo é dialogar diretamente com ele. Isso pode ser facilmente feito por meio de formulários disponibilizados no próprio site ou encaminhados por e-mail. Para isso, existem ferramentas gratuitas que podem ser utilizadas como o Google Form ou o SurveyMonkey. O importante é que a abordagem seja simpática – nada de enviar vários spams por dia para a caixa das pessoas cadastradas no site – e objetiva. Não tente obter todas as informações de uma única vez e, na medida do possível, ofereça opções de respostas para o consumidor. Deixar o formulário totalmente aberto, além de trazer retornos que não tem nada a ver com o que você busca, pode desestimular o usuário a respondê-lo.

E-mail marketing

Sim, o tão falado e contraditório e-mail marketing é uma ferramenta que, se bem utilizada, pode converter em vendas. No entanto, ao fazer uso desse recurso, o empreendedor precisa estar atento para alguns aspectos como o fato de que apenas 25% das pessoas que recebem o e-mail irão abri-lo. Desse total, apenas 2% resultam em compras. Antes de investir nessa solução, é preciso que o empreendedor leve esses números em consideração.
Outro fator importante e que interfere diretamente nos resultados é ter uma lista qualificada de e-mails. Não adianta comprar uma lista enorme de pessoas que não têm qualquer relacionamento com o seu negócio. Para que ações na internet gerem resultados positivos é preciso provocar engajamento dos usuários, e isso não acontece com quem não tem qualquer interesse pelo objeto em questão. Sendo assim, o ideal é trabalhar com os usuários já cadastrados no seu site, por mais tentador que seja comprar uma dessas listas com centenas de milhares de e-mails disponíveis por aí.
Ainda com relação ao e-mail marketing, nunca é demais ressaltar que o envio excessivo de mensagens indesejadas (spam) pode gerar retornos negativos para o destinatário, como a antipatia do usuário. Por isso, use o bom senso na hora de definir o cronograma de envios e, principalmente, ofereça ao usuário – de forma visível – a opção de se descadastrar.

Outros cuidados importantes

Além de adequar o conteúdo do site de acordo com o perfil do usuário e enviar e-mails marketing (com moderação), existem outros aspectos que precisam ser levados em consideração e tratados com atenção pelos e-commerce. E fazer uma boa avaliação técnica do site está no topo da lista de prioridades.
Como querer que o usuário conclua uma compra que dá erro após cada clique? Para evitar esse tipo de situação, é importante verificar se o e-commerce está compatível com todos os tipos de browsers e sistemas operacionais disponíveis no mercado. Além disso, lembre-se que cada vez mais os smartphones têm sido utilizados em substituição aos computadores. O seu site oferece uma versão mobile amigável?
Existem ainda várias outras soluções que devem ser levadas em consideração por quem quer aumentar a taxa de conversão, entre elas:
  • criar o recurso de wish list (lista de desejo), permitindo que o usuário deixem memorizados os produtos que lhe interessam e não precise navegar tudo novamente quando quiser adquirir algum deles;
  • oferecer páginas criativas, com layout atraente, boas fotos e descrição detalhada dos produtos;
  • na sacola de compras, disponibilizar de forma clara todos as informações necessárias para a conclusão da compra;
  • ter um site intuitivo e amigável;
  • oferecer uma boa assistência pós-venda.
O fato é que, mesmo que não exista uma receita pronta para o sucesso no comércio eletrônico, não dá para questionar a importância de dois elementos-chave para o crescimento das vendas: a plataforma (site) e o conteúdo. O aumento da taxa de conversão está diretamente ligado ao investimento na qualidade desses dois itens. E aí? Eles estão contemplados a contento no seu e-commerce?

Fonte: Sebrae
Posted by Dayane Iglesias |


A primeira grande vantagem de investir no AdWords é o retorno em curto prazo.
Como toda a ideia dos Links Patrocinados é poder mostrar o seu site na primeira página do resultado de busca no Google, suas visitas e Leads gerados podem aumentar muito da noite para o dia.

Além disso, o Google é uma forma muito efetiva de comprar mídia online, pois o anúncio encontra as pessoas no exato momento em que procuram por aquilo, trazendo visitantes qualificados e em um estágio mais avançado do funil de vendas.

Muitas vezes esse investimento para ter resultados de curto prazo é essencial por dar fôlego para realizar da maneira certa e sem atropelamento outras atividades de longo prazo como blog, mídias sociais e SEO.

Descobrir palavras-chave importantes para o negócio
Utilizando o Google AdWords também é possível testar a taxa de conversão das palavras-chave relevantes para o seu negócio e identificar quais trazem o maior número de Leads ou vendas. No decorrer do processo é comum descobrir que nem sempre as palavras com maior volume de buscas são as que trazem mais oportunidades de negócio.
Essa análise permite identificar por quais palavras-chave vale a pena brigarem SEO e assim garantir que os esforços em produzir e otimizar conteúdo para estar bem posicionado no Google possam ir para palavras que realmente convertem.

Otimizar o fluxo de conversão
Para ter resultados que façam a diferença – ou seja, atrair novas oportunidades de negócio – em geral funciona muito melhor direcionar os links nos anúncios para Landing Pages (páginas de conversão) específicas, aumentando a chance com que os visitantes impactados pela ação sejam convertidos em Leads. Isso é mais difícil de acontecer se, ao clicar no anúncio, o usuário for direcionado a uma página qualquer do site da empresa, como por exemplo a Home.
Se você tem uma verba para experimentação e uma boa ferramenta para construção de Landing Pages e testes A/B, é viável criar volume para avaliar o impacto de cada variação, seja na oferta, nos títulos, nos benefícios e até nos formatos da página.
O próprio fluxo de conversão pode ser melhorado. Avalie se para uma determinada palavra-chave funciona melhor levar o usuário para a página do produto, para uma Landing Page de um conteúdo rico ou para um bom post sobre o assunto. Em geral, só temos como confirmar isso através de testes e o investimento em Links Patrocinados ajuda a acelerar essa experimentação.
Para finalizar, é importante dizer que sabendo escolher bem as palavras-chave pelas quais brigar (evitando termos muito concorridos e que não convertem) investir no Google AdWords é mais barato do que se imagina. Basta definir um valor máximo de Custo por Lead (CPL) que planeja pagar e avaliar a campanha após alguns dias, cortando as palavras que estão com CPL elevado e aumentando o orçamento das que estão convertendo a um bom CPL.

fonte: Endeavor