Posted by Dayane Iglesias |

As ferramentas começaram a nos ajudar já na pré-história, quando o primeiro Homo Sapiens criou o fogo, a arma e o lápis. E eles viraram a extensão das mãos. Depois disso, a roda fez nascer a carroça, o carro, o patins e o skate. E todos eles viraram a extensão dos nossos pés. Pois é. Não é de hoje que temos utilizado as ferramentas para facilitar nosso próprio trabalho. Tem gente que até diz que as bicicletas são extensões das pernas, os óculos extensões dos olhos e o computador a extensão do cérebro.




Se pararmos para pensar, saber como usar as ferramentas que existem no mundo é o que nos torna capazes de realizar muito mais do que o nosso corpo e a nossa mente permitem. Elas facilitam tarefas difíceis, otimizam o tempo, ajudam no operacional e abrem espaço na agenda para pensarmos melhor em tudo que for estratégico. Pensando nisso, separamos 50 ferramentas que vão facilitar, e muito, sua rotina. Preparado? Então, vamos à lista!
MARKETING E VENDAS
Nem otimista, nem pessimista. Com essa planilha, você ajuda seu time a colocar o pé no chão e analisar os dados de vendas com mais objetividade.
  • É indicada para empreendedores com negócios do estágio inicial ao mais estável que se atentam a questões de sazonalidade; e
  • É útil porque permite lidar com a projeção de vendas em si, incluindo os nomes dos principais produtos geradores de receitas, com uma estimativa de vendas por mês e o valor de cada unidade.
Na prática, a matriz BCG vai te ajudar a ter clareza de quais produtos geram mais receita com menor investimento de tempo e dinheiro.
  • É indicada para empresas já estabelecidas. Startups e empresas em fase de planejamento ainda não dispõem de dados suficientes para efetuar a análise.; e
  • É útil porque é um método eficaz para se analisar o ciclo de vida de um produto, desempenhar a gestão de marcas, montar planos estratégicos ou até mesmo uma estratégia de vendas.
Entender o que o cliente diz, faz, vê, pensa, sente e ouve a respeito de um produto é essencial para o seu sucesso. Com isso, o empreendedor e seu time consegue identificar quais os pontos a melhorar do seu produto e o que poderia ser feito para melhorar a experiência do consumidor.
  • É indicado para empreendedores e profissionais responsáveis pelo desenvolvimento de novos produtos (ou serviços); e
  • É útil porque é um mapa visual que orienta a discussão e o brainstorming sobre a criação de novos produtos a partir da perspectiva do cliente
Ter um ou alguns grandes clientes no início das operações é uma espécie de “atestado de qualidade” para a pequena empresa. Essa ferramenta te oferece uma sugestão de roteiro prático, desde o preparo para o contato com o executivo da grande empresa até a gestão da sua carteira de clientes.
  • É indicado para orientar o micro e pequeno empreendedor que quer se preparar para apresentar sua empresa aos potenciais consumidores.
  • É útil porque usa de uma abordagem simples que tem o potencial para adaptar a realidade do negócio, quebrando alguns mitos e preparando o empreendedor para situações importantes.
Criar algo desejável pelos consumidores, viável de ser produzido e rentável para o seu negócio: esse é o objetivo do Design Thinking, a inovação centrada no usuário.
  • Indicado para negócios de todos os portes que tenham interesse em criar experiências de consumo altamente desejadas por seus clientes; e
  • É útil porque permite ampliar o conhecimento sobre o consumidor e sugere como transformar as informações obtidas em negócios mais rentáveis.
A sigla Aidala se refere às etapas para conquistar clientes fiéis: atenção, interesse, desejo, ação, lealdade e apóstolo. Você já se perguntou como o posicionamento do seu negócio influencia no desempenho do time de vendas? Descubra como desenvolver um plano integrado de marketing e vendas que passe da atenção à lealdade dos seus consumidores.
  • É indicado para empreendedores sem experiência em planejamento de vendas; e
  • É útil porque muitos empreendedores não investem o tempo devido em planejamento, seja na criação da empresa, seja no decorrer do percurso, muitas vezes sem dispor dos recursos necessários.
Além do preço de custo, existem valores intangíveis que podem compor o preço de um produto. Você já parou para pensar neles na hora de precificar seu mix de produtos?
  • Indicado para todos os tamanhos de negócio e projetos; e
  • É útil porque empreendedores que oferecem produtos ou serviços inovadores ou com alguma diferenciação muito relevante.
Para construir uma empresa sólida, a proposta de valor é premissa básica. Entenda qual é a sua ‘entregável’ para os seus clientes, e como você pode torná-la ainda mais valiosa.
  • Indicado para empreendedores e executivos de empresas de todos os portes;
  • É útil porque contribui para que o consumidor aumente sua percepção do valor de um produto ou serviço e, consequentemente, para o crescimento das vendas.
“É muito difícil fazer o design de um produto a partir do que muitas pessoas dizem. Muitas vezes, elas não sabem o que querem até que você mostre a elas”, dizia Steve Jobs. Mas não pense que as dicas da ferramenta são apenas de produtos consagrados como o iPod, o iPhone e o iPad.
  • Indicado para negócios em fase inicial ou de pequeno porte, que atuem no desenvolvimento e na venda de produtos. Pode, eventualmente, ser adaptado para comércio e serviços; e
  • É útil porque organiza as principais diretrizes usadas por Steve Jobs no período em que a Apple ainda era “só uma empresa de garagem”, com recursos limitados.
Dar nome a um negócio é sempre algo trabalhoso. Às vezes, não falta criatividade, mas o nome pode ser difícil de pronunciar ou sem um significado claro. É por isso que essa ferramenta apresenta técnicas simples para você gerar nomes e avaliar sua adequação ao negócio que deseja criar.
  • Indicada para empresas de todos os portes; e
  • É útil porque apresenta técnicas simples para a geração e seleção de nomes para um novo negócio.
ESTRATÉGIA E GESTÃO
A “análise 360°” guia o empreendedor em suas reflexões sobre os aspectos internos e externos de um negócio. A cada oportunidade analisada, escolhe-se aquela que tem a maior pontuação nas duas etapas já que ela indica qual ideia será mais relevante para o seu negócio.
  • Indicado para empreendedores de primeira viagem; e
  • É útil porque capacita o empreendedor a avaliar quais das suas ideias têm o maior potencial para ser relevante e lucrativa.
Você conhece bem os concorrentes do seu negócio? Sabe exatamente o que faz melhor do que eles e em que pontos eles se destacam? Com essa ferramenta, você faz uma reflexão sobre a rivalidade entre seus concorrentes, produtos e serviços substitutos, poder de barganha e também como dificultar a entrada de novos players.
  • Indicada para organizações de todos os tamanhos; e
  • É útil porque o empreendedor pode analisar o ambiente competitivo em que sua organização está inserida e determinar o melhor posicionamento do negócio diante dos concorrentes.
A definição desses três itens é o ponto de partida do planejamento dos novos negócios e deve ser constantemente validada para definir a direção da empresa.
  • Indicada para organizações de todos os portes, em especial as que estão nascendo ou as pequenas; e
  • É útil porque permite que o empreendedor reflita sobre o papel do seu negócio na sociedade e sobre o futuro da empresa.
Você quer abrir um negócio, mas ainda tem receio de se tornar empreendedor? Essa ferramenta é um passo a passo para quem quer ter sua empresa, com orientações desde a etapa de geração de ideias, passando pela implementação, até chegar ao crescimento inicial.
  • Indicada para pessoas que querem criar um negócio próprio, mas que, por algum receio, ainda não se tornam empreendedores; e
  • É útil porque orienta o futuro empreendedor nas etapas de geração de ideias de negócios, implementação e crescimento inicial.
Em tempos incertos, a Matriz SWOT cai como uma luva para definir relações existentes entre os pontos fortes e fracos da empresa e a situação do mercado. A análise permite entender a posição de sua empresa comparada a seus concorrentes, conferindo mais confiança, segurança e força para lidar com os imprevistos e situações desafiadoras.
  • Indicada para organizações de todos os portes, para todas as fases de maturidade do negócio; e
  • É útil porque com essa análise o empreendedor pode organizar um plano de ação para reduzir os riscos e aumentar as chances de sucesso da empresa.
O BMC permite aos empreendedores uma definição de modelo de negócio de suas empresas de forma sistêmica, integrada, rápida e visual. Além disso, ela ainda integra percepções sobre como a empresa pode/deve atuar.
  • Indicada para organizações de todos os portes; e
  • É útil porque a ferramenta permite que empreendedores e estrategistas definam o modelo de negócios da empresa de uma forma simples e visual.
Entre o sonho grande e os pés no chão, como definir metas que sejam, ao mesmo tempo, alcançáveis e desafiadoras para o seu time? Descubra nessa ferramenta.
  • É indicado para empresas de pequeno porte; e
  • É útil porque a ferramenta torna mais claros os conceitos de objetivo, indicador e meta, que são complementares, mas diferentes.
Se você quer desenvolver um plano em ação, esse é o momento ideal para usar a ferramenta 5W2H. Para usar a ferramenta, será preciso pensar nos seguintes pontos: o que deve ser feito?; por que deve ser implementado?; quem é o responsável pela ação?; onde deve ser executado? quando deve ser implementado?; como deve ser conduzido?; quanto vai custar a implementação?
  • É indicado para todos os tamanhos de negócio; e
  • É útil porque a base da metodologia está centrada na resposta a sete perguntas essenciais. Os “Ws” e os “Hs” são derivados das iniciais de palavras interrogativas em inglês (what, why, who, where, when, how e how much).
Você suou a camisa, mas chegou ao fim do dia sem ter certeza do que realizou? Se o acúmulo de atividades sempre te dispersa, torna a rotina mais cansativa e ainda menos produtiva, que tal aprender a gerenciar melhor o tempo e priorizar o que é importante?
  • Indicado para todas as pessoas que querem gerenciar suas horas para priorizar o que é realmente importante para o negócio; e
  • É útil porque é uma ferramenta visual, de fácil entendimento, e bastante eficaz para que as pessoas organizem melhor seu tempo de acordo com suas verdadeiras prioridades.
Muitas pessoas pensam em abrir um negócio, mas não sabem como chegar a uma ideia inovadora. Essa ferramenta te ajuda por meio de duas abordagens: vivência do empreendedor e observação de mercado.
  • Indicada para quem quer montar um negócio, mas ainda não sabe no que investir; e
  • É útil porque facilita o processo de geração e validação de uma ideia de negócio, com base em uma ferramenta visual.
A ferramenta te ajuda na rotina diária, na identificação de oportunidades e no planejamento do negócio, partindo de uma informação central para desdobrar em uma série de outras, de forma organizada e visual.
  • Indicada para empreendedores e seus time se expressarem de formas alternativas para organizar ideias, pensamentos e conceitos; e
  • É útil porque ajuda a organizar, apresentar e discutir seus pensamentos e ideias não lineares a respeito de assuntos relacionados à empresa.
Você sabia que apenas 1% dos empreendedores começa seu negócio com um plano de negócios? Pode não parecer prioridade logo no começo, mas colocar no papel os seus planos para o futuro te ajuda a traçar ações para chegar até onde você quer.
  • Indicada para empreendedores individuais com faturamento mensal máximo de R$ 5 mil; e
  • É útil porque orienta o planejamento de empreendedores não familiarizados com técnicas de gestão.
Essa ferramenta ajuda o empreendedor a enxergar o negócio como algo sistêmico, no qual todas as áreas estão integradas.
  • Indicada para empreendedores em busca de investidores que elaboram um plano de negócio pela primeira vez; e
  • É útil porque auxilia o empreendedor a organizar as informações da empresa, considerando o objetivo do seu plano de negócio.
INOVAÇÃO
Nesse brainstorming guiado, use cartas com soluções prontas para os mais diferentes problemas. Comece com um desafio e reúna o seu time para encontrarem, juntos, as soluções mais inovadoras.
  • Indicada para empresas de todos os portes, em especial as menores, que demandam melhorias e inovações em processos, produtos e serviços; e
  • É útil porque orienta a geração de ideias, aumentando a eficácia das soluções buscadas.
Elaborada pela 3M, essa ferramenta oferece 20 perguntas para você analisar a visão dos seus colaboradores e dos líderes sobre o grau de inovação da sua empresa, identificando os problemas e as causas que te impedem de inovar. Em seguida, desenha-se um plano de ação com datas, objetivos e responsáveis.
  • Indicado para pequenas e médias empresas; e
  • É útil porque permite a empresas comprometidas com a inovação a obtenção de vantagens competitivas e a adoção de medidas para tornar o negócio ainda mais inovador.
Os 4Ps da inovação consistem em quatro áreas de decisões (propósito, processos, pessoas e políticas) que o empreendedor precisa considerar para fortalecer e consolidar a capacidade de inovação de seu negócio.
  • Indicada para negócios de todos os portes, mas vale alertar que a ferramenta foi desenvolvida considerando pequenas e médias empresas; e
  • É útil porque oferece uma visão abrangente sobre como a inovação pode ser gerida em organizações de menor porte, embora também possa ser usada em negócios maiores.
Para facilitar a geração de ideias do seu time, utilize essa ferramenta para criar novas versões de um produto ou serviço, incentivando a inovação e guiando as sessões de brainstorming.
  • É útil porque torna possível direcionar e organizar a discussão de um grupo de pessoas para um resultado produtivo.
INVESTIMENTO E ACESSO A CAPITAL
A sua empresa tem potencial para se beneficiar de uma linha de fomento de inovação tecnológica? Conheça o mapa da mina para acessá-las!
  • É indicada para empresas de todos os portes com interesse em inovação tecnológica, em especial as de micro e pequeno porte (MPE); e
  • É útil porque apresenta e organiza as principais fontes de recursos para projetos de inovação no Brasil e guia o empreendedor na definição da alternativa mais adequada para o seu projeto.
Do processo de preparação do empreendedor até a captação, descubra o que é preciso para seu negócio captar recursos financeiros de um investidor-anjo com essa ferramenta desenvolvida por Cassio Spina, da Anjos do Brasil.
  • É indicada para empreendedores iniciantes e negócios nascentes; e
  • É útil porque apresenta uma lógica que pode facilitar o acesso a esse tipo de investidor e aumentar as chances de captação de recurso.
Se você tivesse um minuto para convencer um investidor sobre o seu negócio, o que você falaria? Siga os 6 passos dessa ferramentas e descubra os elementos que não podem faltar na sua fala e qual a melhor sequência de apresentação.
  • Indicada para empreendedores em busca de capital de investidores ou participantes de competições de empreendedorismo; e
  • É útil porque organiza as informações que devem ser transmitidas ao investidor (ou à banca de avaliação) de maneira sintetizada e persuasiva.
FINANÇAS
Essa é uma das ferramentas mais úteis para o empreendedor de primeira viagem. Com ele, é possível visualizar os principais gastos da empresa, estabelecer metas de corte, priorizar os custos fundamentais para o funcionamento do negócio e eliminar os supérfluos.
  • Indicada para pequenas e médias empresas em operação há pelo menos um ano fiscal; e
  • É útil porque ajuda o empresário a conhecer os principais gastos, estabelecer metas de corte e priorizar os custos fundamentais para o funcionamento do negócio.
GESTÃO DE PESSOAS E LIDERANÇA
Faça uma avaliação rápida sobre quem deve subir de cargo, receber uma nova chance e quem deve ser demitido.
  • Indicado para empreendedores e executivos de empresas de qualquer porte, o foco está na experiência de Jack Welch com gestão de pessoas; e
  • É útil porque permite uma avaliação periódica e o alinhamento do colaborador com os valores da empresa. Além disso, os critérios de divisão asseguram uma tomada de decisão mais assertiva quanto ao destino de cada membro.
Quer investir no treinamento da sua equipe, mas não dispõe de recursos financeiros para isso? A ferramenta Método da Cumbuca pode ser uma ótima opção! A técnica consiste na formação de pequenos grupos, que se reúnem em encontros rápidos e periódicos, para discutir conteúdos que exercem impacto positivo sobre o resultado do empreendimento.
  • Indicada para empresas de todos os portes, em especial as menores e aquelas com poucos recursos para investir em treinamento e desenvolvimento de equipes; e
  • É útil porque conta com uma técnica simples de aprendizagem organizacional que pode trazer resultados concretos com baixos investimentos. Além disso, incentiva o autodesenvolvimento dos colaboradores.
Como ter as pessoas certas, nos lugares certos e com a motivação certa? É impossível construir um negócio sólido sem uma equipe competente. Mais do que ter uma grande ideia ou muito dinheiro para investir, empreendedores deveriam almejar ter uma grande equipe.
  • Indicada para empresas em fase de pré-lançamento e aquelas que querem formar equipes mais integradas com a visão do empreendedor; e
  • É útil porque ajuda a achar as pessoas certas para os lugares certos, determinando quais são os postos-chave e os indivíduos mais indicados para preenchê-los.
Identifique qual é a sua cultura organizacional e entenda a diferença que isso faz na condução do negócio. Interpretar a cultura organizacional da empresa não é tarefa fácil, mas é um diferencial quando se pensa em melhorias e fortalecimento em médio e longo prazo.
  • Indicado para empreendedores que querem criar um ambiente organizacional em que as equipes fazem questão de estar; e
  • É útil porque aborda meios para identificar como os colaboradores percebem o negócio, além daquilo que pode ser feito para criar uma cultura inspiradora, capaz de engajar o time.
O OKR (Objectives and Key Results) é um framework para definir metas, por um sistema simples para criar alinhamento e engajamento em torno de metas mensuráveis e dinâmicas, tipicamente definidas a cada trimestre.
  • É indicado para empresas de todos os portes, em especial para startups que precisem aprender a gerenciar seu time de colaboradores em direção aos resultados esperados; e
  • É útil porque é uma ferramenta de gestão de pessoas usada para gerenciar o time de colaboradores a chegar aos resultados esperados. Ao definir os objetivos e avaliar os resultados,
Que empreendedor não sonha com a evolução contínua dos negócios? A ferramenta 70-20-10 apresenta técnicas para melhorar a performance e adicionar um elemento essencial para o sucesso: o envolvimento de todos os colaboradores.
  • É indicada para empreendimento de pequeno e médio porte em busca de melhor desempenho; e
  • É útil porque sugere que o tempo de trabalho seja distribuído em proporções e incentiva o time a pensar em otimizações de processos continuamente.
A ferramenta avalia tanto o desempenho passado quanto as contribuições futuras de cada um dos envolvidos no negócio, principalmente o desenvolvimento da empresa e o compromisso dos sócios, ainda que eles sejam investidores sem atuação direta.
  • Indicada para sócios de futuros negócios e startups em que as relações ainda são informais e não planejadas, mas que desejam o crescimento contínuo, rápido e/ou sustentável do negócio; e
  • É útil porque alinha percepções, expectativas e compromissos dos sócios.
Você está começando um negócio e quer criar desde cedo uma imagem e uma cultura organizacional condizentes com sua definição de Missão, Visão e Valores? A ferramenta Brand Character para pequenas empresas ajuda o empreendedor a direcionar seu negócio para que todos tenham a mesma percepção da empresa, incluindo não apenas os funcionários, mas também os parceiros e os consumidores.
  • Indicada para negócios em fase inicial; e
  • É útil porque permite organizar três fatores fundamentais numa mesma direção: a marca, os aspectos físicos e a cultura organizacional.
Para lidar com as decisões difíceis, o empreendedor pode contar com um conjunto de pessoas mais experientes que ajudam a sua trajetória: juntas, elas formam o conselho consultivo. Com essa ferramenta, aprenda como implementar um conselho consultivo na sua empresa, trazendo uma visão externa das perspectivas da empresa.
  • Indicada para empresas de pequeno e médio porte em geral; e
  • É útil porque suaviza um dos maiores desafios dos empreendedores: a jornada solitária das decisões mais difíceis.
Para ter uma percepção real do que ocorre na empresa, especialmente em relação aos funcionários, os empreendedores de negócios de pequeno porte podem usar a ferramenta MBWA, inspirada no estilo de David Packard, um dos fundadores da HP.
  • Indicada para negócios em fase inicial ou de pequeno porte, mas pode ser adaptado para negócios maiores; e
  • É útil porque é simples de entender e fácil de implementar, quando a empresa e o empreendedor ainda estão em formação.
OPERAÇÕES E TECNOLOGIA
No início das atividades, empreendedores são aqueles que fazem de tudo. Entenda como um check-up pode ajudar o responsável nas funções críticas do negócio.
  • Indicado para organizações de pequeno porte, especialmente as ligadas à indústria; e
  • É útil porque permite tomar decisões a respeito do quadro ideal de colaboradores, por meio de uma avaliação rápida sobre quem deve ser promovido, treinado, receber uma nova chance e quem deve ser sumariamente demitido.
Já imaginou algo que reduza custos oriundos de falhas humanas e que impeça novos defeitos? Conheça a Poka Yoke.
  • Indicado para empresas que precisam reduzir a quantidade de defeitos em produtos e falhas humanas na operação, na administração do negócio e na prestação dos serviços; e
  • É útil porque a ideia fundamental desta ferramenta é de que se há uma falha ou um defeito, é possível tomar atitudes para prevenir e detectar algo indesejado.
Como saber se você usa um número alto de sistemas de gestão em sua empresa? Para fazer essa avaliação, você pode usar a ferramenta Check-up de gestão para PMEs.
  • Indicada para negócios de todos os portes, mas esta ferramenta foi desenvolvida considerando pequenas e médias empresas; e
  • É útil porque oferece uma lista de sistemas de gestão que podem ser implementados pela empresa.
Sua empresa está precisando de organização e métodos para manter tudo em ordem? Desgastes no ambiente de trabalho por questões de ordem do espaço poderiam são cada vez mais comuns e quase todo empreendedor se depara com situações como essa.
  • Indicado para negócios de todos os tamanhos, mas esta ferramenta foi desenvolvida considerando os de menor porte; e
  • É útil porque permite que o empreendedor introduza a disciplina dos 5S em sua empresa de forma simples.
LEGAL E TRIBUTÁRIO
Conhece a parte de formalização de acordos para aporte de capital de investidor? O term sheet antecipa discussões e agiliza a assinatura dos contratos finais entre empreendedor e investidor.
  • É indicado para empreendedores em busca de aporte de capital de investidores profissionais (investidores anjo, investidores de seed capital/capital semente, venture capital e private equity); e
  • É útil porque permite que o empreendedor compreenda as principais cláusulas e, com a ajuda de um advogado especializado no assunto, se prepare melhor para a negociação do investimento.
Muita gente dá os primeiros passos em um negócio fazendo home office. Enquanto o faturamento é baixo, comprar ou alugar um espaço para a sede da empresa não é fácil. Para ajudar nesse momento de organizar a aquisição de todos os itens (ou ativos) necessários, conheça essa planilha, formatada para que o empreendedor organize instalações físicas, máquinas e equipamentos, móveis e utensílios, computadores e periféricos, veículos e outros ativos que façam sentido para o negócio.
  • É indicada para empreendedores que estão saindo do Home Office para montar o primeiro escritório ou a primeira loja; e
  • É útil porque permite o planejamento do número de utensílios adquiridos e também do investimento financeiro que será feito para os ativos fixos.
AUTOCONHECIMENTO
Não se trata de abrir uma série de empresas, uma seguida da outra. Entrar em um estado de fluxo é estar muito motivado e no ápice da sua habilidade pessoal para realizar feitos extraordinários como empreendedor.
  • Indicado para empreendedores que buscam desafios contínuos e novas habilidades, não se tornando alguém entediado ou apático; e
  • É útil porque ajuda o empreendedor a manter o comportamento empreendedor em alto nível durante toda a vida, como fizeram Steve Jobs e Walt Disney.
Encontrar o porquê de empreender e descobrir o que você espera realizar com a própria empresa são práticas que facilitam a gestão do negócio e resiliência do empreendedor.
  • Indicado para empreendedores em busca do propósito pessoal verdadeiro para liderar a criação e o desenvolvimento de um grande negócio; e
  • É útil porque ajuda o empreendedor a alinhar sua própria missão à do negócio.
Você consegue prever como vai agir quando algo inesperado acontecer? Conhecer o próprio perfil e agir intencionalmente de forma espontânea são marcas de quem estuda a si mesmo.
  • Indicado para pessoas que querem empreender um negócio próprio ou que já estão liderando suas empresas; e
  • É útil porque oferece informações para que o empreendedor reflita sobre sua personalidade e inteligência e saiba utilizá-las no desenvolvimento do seu negócio.

    Fonte: Endevor
Posted by Dayane Iglesias |
1 . Snap & Facebook: muito além do “Social”
O estudo aponta que essas mídias sociais demandarão outras estratégias de engajamento, que vão além da base de usuários. Desde 2013, o público jovem vem abandonando o Facebook. A solução da rede foi comprar outras plataformas, como WhatsApp, e diversificar as atividades. A estratégia deu certo e o Facebook se fixou como líder social incontestável.
Entretanto, o Snapchat não para de crescer e vem apimentando o panorama social, mesmo tendo só 20% da base de usuários do Facebook. Mesmo assim, o Snapchat conquistou o público com idade entre 18 e 24 anos, faixa etária que o Facebook tem mais dificuldade em envolver.

2. Surfando a onda da “Realidade Aumentada”
O Pokémon Go deu visibilidade a Realidade Aumentada em 2016 e essa moda pegou. A tendência deve ter maior projeção em 2017, sendo utilizado por empresas de renome, como Google, Apple, Facebook, Snapchat, Twitter e Amazon, e até veículos de mídia como o The New York Times.
Segundo o estudo, as marcas precisarão se adaptar a esse novo “ambiente de informações envolventes” com a integração de novas tecnologias como VR (Realidade Virtual). “O desafio das marcas está na criação da ‘empatia eletrônica’ para conectar seres humanos de um modo mais profundo, mais intenso”, explica a pesquisa.

3. A revolução da distribuição de conteúdo
A “revolução da distribuição de conteúdo” é como o estudo refere-se a era em que as marcas intensificam a produção de conteúdo e passam a administrar seus próprios canais. Essa é mais uma tendências de social media em 2017, Facebook Instant Articles e Linkedin Pulse são exemplos de como as mídias sociais se transformaram em mídia e editora num só lugar.
Essa evolução fará com que os conteúdos deixem somente de promover narrativas e passem a ser uma veículo que oferece experiências mais profundas. De acordo com o estudo, a abordagem especializada e baseada na audiência dos canais de comunicação agregará valor as marcas. Além disso, a prática de replicar conteúdo em diversas plataformas não funcionará mais. “A chave para atrair, engajar e motivar a sua audiência é a criação exclusiva e original para cada plataforma”, completa o texto.

4. Os Chatbots chegaram… mas não estão sozinhos
Apontados como promissores, devido ao uso massivo dos aplicativos de mensagens, os chatbots – respostas automáticas, programadas para “conversar” com o cliente – ganham cada vez mais espaço e a ideia é que essa tendências de social media em 2017 fique ainda mais forte. Porém, as marcas precisam pesar dois fatores importantes: a conexão humana e os chatbots como coadjuvantes.
Tudo indica que uma abordagem que equilibra inteligência artificial e humana é melhor do que só os chatbots automatizados. Eles são parte da estratégia em marketing digital, mas quando se trata do “Dark Social” (compartilhamento em particular), por exemplo, eles não são capazes de “ajudar”. Estratégias inovadoras, como inserir influenciadores (humanos) ocultos nos canais tem dado certo nestes casos.

5. O crescimento das redes de pergunta e resposta
Outra tendência de social media são as redes de pergunta e resposta, que começaram na China e ganharam o mundo. O serviços de Q&A (Question and Answer) permitem o envio de perguntas para celebridades e influenciadores. A ideia já está em algumas mídias sociais, como o LinkedIn. A rede profissional lançou um App iOS independente chamado “Record”, que permite o uso de clipes de 30 segundos para responder a tópicos direcionados e estabelecidos pela equipe editorial do LinkedIn.

6. Programas de influenciadores – aposta da moda ou sábio investimento?
O marketing de influenciadores será uma tendência de social media em 2017 que deve brilhar entre as estratégias em marketing digital. A linguagem moderna da confiança, alimentada por ótimas influências, poderá ser uma mercadoria que os consumidores exigirão das marcas.
Segundo o estudo, “escolas de influência” estão surgindo para profissionalizar ainda mais o papel do influenciador. A ideia é que os promotores de beleza ou moda ajudem as marcas através da presença nas mídias. Lembre-se: confiança e influência!

7. Redes Sociais & TV – casal do futuro
Mais uma das tendências de social media em 2017 é a relação entre TV e redes sociais, que o estudo chama de “Social TV”. Uma pesquisa do Kantar Twitter TV Ratings monitorou as conversas sobre TV no Twitter. Ela descobriu que as conversas fora da janela de transmissão tornaram-se maiores do que aquelas que acontecem durante o programa. As séries da Netflix, como Stranger Things e Narcos, também receberam grande cobertura pelos usuários. Além disso, recursos como Faceboook Live, devem aparecer em outras mídias sociais, que já perceberam a força das transmissões ao vivo.

8. Fale!
Segundo o estudo, o Google desenvolve atualizações para as buscas por voz há muitos anos. Nas pesquisas feitas na internet, as perguntas realizadas com recursos de voz dobraram de 2014 para 2015. A ferramenta é mais um dos fatores de evolução nos mecanismos de busca na web, assim como personalização de resultados por geolocalização. O Facebook deve proporcionar também um serviço de pesquisa e de perguntas e respostas por voz que irá revolucionar os mecanismos de buscas.

9. Social Commerce
Forte em 2016, o comércio social também será uma tendência de social media em 2017. O Facebook já anunciou medidas para facilitar as compras on-line, inclusive no Messenger. A rede social mais forte do mundo carregou outras mídias sociais, que aproveitaram o embalo para criar ferramentas sociais de compras.
No Instagram, por exemplo, as novas fotos com links podem facilitar a compra. Mas é o Pinterest o novo queridinho do social commerce. A ideia é que o usuário possa utilizar a rede para conhecer novos produtos, salvar e planejar compras futuras. A rede até lançou recursos para acomodar cada estágio do ciclo de compras do cliente.

10. Office War
Segundo o estudo, a crescente força de trabalho dos Millennials tem gerado um novo interesse em ferramentas de comunicação social para empresas. Essa é uma das tendências de social media em 2017 que sinaliza o papel crescente das mídias sociais e de bots de conversa em negócios atuais. A ideia é que essa ferramenta deixe para trás as intranets e caixas de correio e, assim, acelere a comunicação entre colaboradores.

Fonte: Kantar Media


Posted by Dayane Iglesias |

O Canva é uma ferramenta de design gratuita e fácil de usar que possibilita a criação de projetos incríveis em poucos minutos. Com ele é possível também fazer edição de fotos. Tudo é muito intuitivo, com recurso de arrastar-e-soltar. É possível selecionar formas, fundos e frames desde um banco de imagens, e também escolher textos e fontes lindíssimas. Além disso, para facilitar ainda mais,  o Canva disponibiliza templates prontos como inspiração ou adaptação.


Com o Canva é possível criar designs para apresentações, imagens para redes sociais, cartões, cartazes, logotipos e muito mais. Você terá acesso a uma biblioteca com mais de 1 milhão de ilustrações e imagens profissionais,  que permitirá a criação de designs de alta qualidade em poucos minutos.

Quais são as características principais do Canva?

  • Funcionamento simples com recurso de arrastar-e-soltar.
  • Extenso banco de imagens.
  • Possibilita a criação de designs profissionais.
  • Templates prontos que servem de inspiração.
  • Não é necessário fazer instalação.
  • Disponível em português.
  • Gratuito.


Recursos para Fotos:
  • Desfoque de fotos
  • Emblemas grátis
  • Vinheta
  • Balão de fala
  • Recortar imagens
  • Adicionar texto à imagem
  • Ícones grátis
  • Grade de designs
  • Adesivos
  • Adicionar Texturas
  • Efeitos para fotos
  • Molduras para fotos
  • Imagens transparentes

Recursos para Design:
  • Cartões
  • Logotipos
  • Cartazes
  • Currículos
  • Cartões timbrados
  • Capas para Livros
  • Apresentações
  • Convites Virtuais
  • Capas para revistas
  • Capas para Facebook
  • eCards
  • Panfletos
  • Banners
  • Brochuras
  • Infográficos
  • Montagem de Fotos
  • Capas para CDs
  • Cartões de visitas
  • Vale Presente



Posted by Dayane Iglesias |
máquina de títulos

Se você ficou sem ideia para criar um título para o seu mais novo blog post, a incrível máquina de títulos é o que você precisa!
Descubra quanto sua empresa precisa investir em marketing e pare de desperdiçar o seu orçamento. Conheça os números que devem ser investidos!
Se você trabalha com marketing digital, tenho certeza que já se deparou com o conceito de personas. As representações mais fieis de seus clientes precisam estar documentadas para que elas sejam utilizadas da maneira correta e foi pensando nisso que criamos o gerador de personas!

Posted by Dayane Iglesias |
Nem tudo que está na internet pode ser usado livremente. Conheça os direitos que você tem como autor e aprenda a respeitar o direito de outros autores.
Quando procuramos material sobre direitos autorais na produção de conteúdo é comum esbarrarmos em termos como Copyright, Fair Use, Copyleft e Public Domain.
Acontece que todos esses termos vem de publicações americanas sobre o assunto e o direito autoral no Brasil é um pouco diferente.
A diferença do Copyright e do Direito Autoral
Temos a corrente americana do Copyright e a corrente francesa do Droit d’auteur, a francesa divide entre direito patrimonial e direito moral e é nessa segunda que se baseia o direito autoral brasileiro.
No Copyright por exemplo é possível abrir mão da autoria, no Direito autoral brasileiro você nunca abre mão da sua autoria (direito moral), mas pode ceder a exploração desse conteúdo para terceiros (direito patrimonial). Que é o que acontece quando você produz um conteúdo sob encomenda.
Você só pode reproduzir um conteúdo livremente se você tem o direito patrimonial sobre ele, ou seja, você produziu para você mesmo ou você pagou um terceiro para ter o direito de uso sobre esse conteúdo.
Fair-Use-image

As exceções da regra

Fair Use e o Artigo 46

Fair Use no direito americano ou o Artigo 46 na nossa legislação sobre direito autoral permitem que parte de um conteúdo seja usado em algumas circunstâncias específicas.
Você pode reproduzir uma parte do conteúdo, pequenos trechos, desde de que não seja para fins comerciais. Em geral uma frase, um parágrafo ou menos de 400 palavras são consideradas Fair Use.
O artigo 46 da nossa legislação define alguns usos específicos como imprensa e educação. Lembrando que não é permitido a reprodução integral nem a obtenção de lucro.
Ou seja, você não pode copiar textos inteiros sem autorização, a mesma regra se aplica a imagens, músicas e outras obras artísticas. Inclusive se você utilizar uma música ou trecho de música no YouTube seu vídeo pode ser removido.
Vale lembrar que sites de empresas, blogs e canais do YouTube com anúncios podem ser entendidos como espaços com fins lucrativos.

Domínio Público

São as obras de livre uso comercial porque seu direito patrimonial expirou, você ainda precisa citar o autor (direito moral), mas não corre mais o risco de ter seu conteúdo tirado do ar, ser preso ou pagar multa!
No Brasil uma obra é colocada em domínio público 70 anos depois da morte do autor, esse tempo pode variar em outros países.
Para incentivar o uso desses conteúdos o governo mantém o Portal Domínio Público que permite pesquisar e descobrir obras em domínio público.

Copyleft

São obras onde o autor (detentor do direito patrimonial e moral) permite, através de uma licença, alguns usos específicos.
Existem vários tipos de licenças sendo que as mais comuns para conteúdos fazem parte da Creative Commons, elas funcionam como um contrato público entre o autor e quem vai utilizar o conteúdo, e são construídas com os seguintes elementos.
creative-commons-783531_960_720
  • BY = Atribuição – Todas as licenças da Creative Commons exigem que você dê créditos ao autor.
  • SA = Share Alike – Você pode criar trabalhos derivados desse conteúdo, mas eles devem ser distribuídos com a mesma licença.
  • NC = Non Commercial – Você não pode explorar comercialmente esse conteúdo.
  • ND = Non Derivatives – Você não pode criar trabalhos derivados desse conteúdo.
Sendo assim um conteúdo Copyleft usando a licença Creative Commons BY-NC-ND pode ser usado desde que seja dado crédito para o autor (BY), não seja para uso comercial (NC) e não sejam produzidos trabalhos derivados (ND).
Para sites de empresas ou blogs com anúncios é recomendado que você use apenas conteúdos cuja licença permite a exploração comercial, ou seja, sem o NC na licença.
Se você quiser publicar seu conteúdo sob uma licença Creative Commons você pode usar esse gerador que cria um ícone com link que você pode colocar no seu site ou blog.
Exemplo:Licença Creative Commons
No WordPress.com você pode utilizar o Widget Texto para inserir esse ícone na lateral do seu site ou blog.

Alguns cuidados para não infringir a lei

  1. Publique sempre conteúdo original, de sua própria autoria.
  2. Ao citar conteúdos de terceiros reproduza no máximo um parágrafo e coloque um link para o conteúdo original.
  3. Caso precise utilizar trechos maiores certifique-se de que ele possui uma licença Creative Commons (um dos ícones mostrados no tópico Copyleft) ou entre em contato com o autor para obter uma permissão.
  4. Sempre que utilizar conteúdo de terceiros dê os créditos para o autor.
  5. Se você encontrar material sem autoria pesquisa na internet a autoria antes de publicar e descubra se o autor permite sua publicação. Na dúvida é melhor deixar de publicar um conteúdo do que ter dores de cabeça mais tarde.
E lembre-se: conteúdo original ajuda seu site a ficar melhor posicionado em buscadores e a construir um relacionamento verdadeiro e transparente com a sua audiência.
 fonte: https://br.blog.wordpress.com/
Posted by Dayane Iglesias |
pesquisa-brasileira-midia-2015

O Governo Federal, em especial, a SECOM (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.) divulgou na última sexta-feira, dia 19, a Pesquisa Brasileira de Mídia 2015, que visa dar um panorama sobre os hábitos de consumo de mídia da população brasileira.
A pesquisa revela que a televisão segue como meio de comunicação predominante, que o brasileiro já gastacinco horas do seu dia conectado à internet e que osjornais são os veículos mais confiáveis. Então, para quem trabalha com mídia, comunicação, marketing, etc, é uma fonte de dados importantíssima para se traçar estratégias e montar o planejamento.
Abaixo, coloco um resumo da pesquisa:
– 95% dos entrevistados afirmaram ver TV, sendo que 73% têm o hábito de assistir diariamente. Em média, os brasileiros passam 4h31 por dia expostos ao televisor.
– O rádio (por incrível que pareça para muitos) continua o segundo meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros.
– Jornal é a fonte de informação mais confiável.
– O uso de plataformas digitais de leitura de jornais ainda é baixo: 79% dos leitores afirmam fazê-lo mais na versão impressa, e 10% em versões digitais.
– Praticamente a metade dos brasileiros, 48%, usa internet.
– O uso de telefones celulares para acessar a internet já compete com o uso por meio de computadores ou notebooks, 66% e 71%, respectivamente. O uso de redes sociais influenciou esse resultado.
– Entre os internautas, 92% estão conectados por meio de redes sociais, sendo as mais utilizadas oFacebook (83%), o Whatsapp (58%) e o Youtube (17%), Instagram (12%) e Google+ (8%). O Twitter, foi mencionado por apenas 5% dos entrevistados.
– E segundo a pesquisa, os “Horários Nobres” da internet brasileira são entre 10:00 e 11:00 e 20:0021:00.
Um dos destaques foi o WhatsApp, que segundo o Ministro  Thomas Traumann:
“É o grande desafio, porque é uma coisa completamente nova. Não é como o Facebook, ou como o Twitter. [Quem recebe a mensagem] não sabe de onde está vindo aquela informação: de onde ela veio? Quem mandou primeiro? São coisas que o Whatsapp ainda não resolveu. Então esse é um desafio que quem produz notícia, quem produz publicidade, vai ter que enfrentar”, analisou.

pesquisa-brasileira-midia-2015-2
Posted by Dayane Iglesias |
mídias sociais

Por que postamos: curso online gratuito revela como diferentes povos veem e utilizam as redes sociais
· Por que os ingleses fazem selfies e os chilenos fazem ‘footies’?
· Por que a mídia social é considerada uma distração para a educação na China rural, mas uma ajuda de aprendizagem valiosa no Brasil?
· Por que as mídias sociais não são tão revolucionárias para a política mas têm empoderado mulheres em países como Índia e Turquia?
Estes são apenas alguns dos temas explorados em “Por que postamos”, curso originado de um projeto de pesquisa de mídia social global realizada por uma equipe de antropólogos da University College London
Posts, selfies, memes. Palavras que se fazem cada vez mais presentes no vocabulário do dia a dia de qualquer população do globo com acesso a internet e conta em redes sociais. Hoje, as mídias sociais ganharam relevância incontestável, sendo fonte de novos comportamentos, originando debates, repercutindo fatos e ecoando a mentalidade de uma sociedade. E seus conteúdos variam consideravelmente de região para região, refletindo uma visão de mundo local. Se, para muitos as mídias sociais decretam o fim da privacidade, para os chineses, por exemplo, ela pode ser uma das poucas oportunidades de preservá-la. Na Índia e Turquia, as mídias sociais são utilizadas como instrumento de empoderamento das mulheres, em duas sociedades com forte estratificação de gênero.
Foi na tentativa de verificar como as mídias sociais são entendidas regionalmente que a University College London promoveu a pesquisa Por que postamos (Why we post), sobre os efeitos e os hábitos das mídias sociais no mundo. É a primeira pesquisa comparativa internacional sobre o tema. Os dados da pesquisa serão divulgados em um curso online gratuito que está marcado para acontecer ao longo de cinco semanas a partir do dia 29 de fevereiro.
Além do inglês, o curso estará disponível nas línguas dos países pesquisados, inclusive o português. A pesquisa também vai gerar um site com os resultados, mais de 150 vídeos curtos no Youtube e 11 livros. Todos com acesso gratuito. O curso parte de pesquisa qualitativa em que nove antropólogos da University College London (UCL) acompanharam por 15 meses populações de oito países ao redor do mundo para verificar o impacto das redes sociais em comunidades tão variadas como uma aldeia Inglesa, uma cidade industrial no norte da China, uma comunidade na fronteira turco-síria e um povoado de trabalhadores na Bahia. Cada membro da equipe realizou uma análise aprofundada sobre a forma como as populações locais se comportam e interagem em todos os canais de mídia social e como essas plataformas estão impactando sobre a maneira como eles vivem.
A pesquisa foi realizada a partir de um dos principais centros de pesquisa acadêmica da Europa, a University College London, e dentro do respeitado Departamento de Antropologia dessa instituição, coordenada por um dos mais ativos antropólogos do mundo hoje a pesquisar as mídias sociais, o professor Daniel Miller, autor de 37 livros traduzidos para oito idiomas, entre os quais “Trecos, Troços e Coisas” (Zahar). Dedicado ao estudo da cultura material, atualmente realiza pesquisas em antropologia digital, mídias e redes sociais.
Se, em geral, pesquisas sobre mídias sociais são quantitativas e têm como origem das informações os Estados Unidos e a Europa, neste caso, a pesquisa “Por que postamos” é qualitativa e foi feita em oito países: Inglaterra, Brasil, China, Turquia, Trinidad e Tobago, Chile, Itália é Índia.
O curso vai abordar todos os temas – com apresentação dos dados da pesquisa – e foi elaborado para um público não acadêmico, com apelo especial para publicitários, jornalistas, profissionais de marketing, de pesquisa de mercado, políticas públicas e interessados em mídias sociais e cultura digital. Por meio deste curso, a UCL dispõe para a comunidade resultados de três anos de estudos, estreitando e reforçando o diálogo entre universidade e sociedade. O participante terá a oportunidade de entender como a mídia social é usada para amizade, negócios, educação, romance e comércio e terá uma visão detalhada sobre como as diferentes plataformas sociais são utilizados, de QQ na China para WhatsApp no Brasil, e como elas estão mudando o mundo.
As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelos links:
https://extendstore.ucl.ac.uk/catalog?pagename=why-we-post (registro e curso com legendas em chines, hindi, italiano, português, espanhol, tamil e turco).
Algumas das principais conclusões do estudo que serão abordadas no curso incluem:
• A mídia social é vista como oportunidade de melhorar a educação por famílias de baixa renda, e como impedimento/distração na educação pelas famílias de alta renda;
• Ao contrário da crença popular, a mídia social não está nos tornando mais individualistas ou narcisistas – ela tem reforçado o senso de família e de comunidade;
• Selfies têm uma interpretação diferente ao redor do mundo: as pessoas fazem ‘footies’ no Chile e selfies mais tradicionais na Itália e no Brasil. Na China, selfies são populares entre os jovens, ao passo que na Índia e na fronteira turco-síria eles são vistos como muito informais para o espaço formal da mídia social;
• A mídia social está tendo um impacto profundo na política de gênero em todo o mundo, especialmente em sociedades altamente conservadoras, como a Turquia, onde, pela primeira vez, homens e mulheres jovens podem ter contato direto uns com os outros;
• Plataformas de mídia social públicas são mais conservadoras do que os privadas: no Facebook, por exemplo, o comportamento tende a ser conservador, e em muitos dos locais de pesquisa, as pessoas evitam postagem com enfoque político. Por outro lado, mídias sociais que garantem mais privacidade, como o WhatsApp, podem ser utilizadas para divulgação de informações com tom político, muitas vezes radical, com objetivo de promover mudanças sociais;
• Igualdade online muitas vezes não se traduz em igualdade off-line: No Brasil, os funcionários podem ter os mesmos smartphones que seus empregadores, mas isso não faz com que sejam amigos e se adicionem em redes sociais.
• São as pessoas que usam a mídia social que a criam, não os desenvolvedores de plataformas: conteúdo, como brincadeiras de jovens estudantes, vídeos engraçados e partilhamento de fotos de bebês e animais vêm de usuários, e não dos criadores de plataformas;
• Memes são consideradas a “polícia moral” da vida on-line: vão desde temas religiosos na Índia a paródias e piadas sobre os políticos em Trinidad e Tobago. Mas, em ambos os casos, memes tendem a afirmar um conjunto de valores e criticar outros. Pessoas que sejam tímidas ou estejam com vergonha de expressar seus próprios valores e opiniões, muitas vezes usam memes;
• Estamos inclinados a acreditar que a mídia social é uma ameaça à privacidade, mas, às vezes, ela pode garantí-la: algumas das maiores populações no leste e sul da Ásia vivem em famílias extensas com expectativas limitadas de privacidade individual. Para essas pessoas, a mídia social pode ser a sua primeira experiência com uma ferramenta que promova sua privacidade.
Ementa do curso Por que postamos:
PRIMEIRA SEMANA: Introdução ao curso e o uso das mídias sociais em uma vila inglesa.
SEGUNDA SEMANA: Impacto da visualidade nos meios de comunicação (o que são e para que servem selfies e memes, o uso da fotografia e imagem para refletir desejos e aspirações em povos tão diferentes) e uso das mídias sociais na Itália e em Trinidad e Tobago.
TERCEIRA SEMANA: Turquia e Índia; os efeitos das mídias sociais em relação a gênero e política.
QUARTA SEMANA: China rural e industrial; censura e privacidade, quais são as plataformas usadas pelos chineses, considerando que eles não têm acesso a Facebook, Twitter e Youtube; o que os chineses pensam sobre censura; na China, a mídia social pode ser uma oportunidade para se ter privacidade .
QUINTA SEMANA: Chile e Brasil; mobilidade social; a redução da desigualdade acontece apenas em relação à conectividade ou há um impacto da internet na vida das pessoas fora da internet?