Posted by Dayane Iglesias |

Ao redor do mundo, aproximadamente 75% das pessoas acreditam que "são o que comem" — um sinal de que os consumidores de hoje estão explorando as últimas tendências de saúde. Com as taxas de obesidade globais subindo 28% entre os adultos ao longo dos últimos 30 anos, as pessoas estão se esforçando para perder peso e melhorar sua qualidade de vida.

De fato, quase metade (49%) dos entrevistados na Pesquisa Global da Nielsen sobre Saúde e Bem-Estar se considera acima do peso, e uma porcentagem semelhante (50%) está tentando emagrecer. Mas homens e mulheres não estão, necessariamente, alinhados com os passos tomados na batalha contra a balança. Embora não seja novidade que o bem-estar e o modo de lidar com o corpo é diferente entre homens e mulheres, as diferenças se estendem para os caminhos de ambos os sexos que procuram melhorar a saúde a partir dos hábitos alimentares.
PREOCUPAÇÕES DE PESO
Quando se trata de problemas em relação ao peso, estereótipos comuns prevalecem. As mulheres estão mais propensas que os homens a se considerarem com sobrepeso. Mais da metade das mulheres ao redor do mundo (54%) estão acima do peso, em comparação a 45% dos homens. E logicamente, isso resulta em  mais mulheres tentando perder peso (56% das mulheres contra 44% dos homens). Entretanto, as ações que as mulheres tomam para emagrecer diferem do público masculino.
Para perder peso, tanto homens quanto mulheres preferem ajustar sua dieta, exercitar-se, tomar pílulas, barras, shakes ou medicamento prescrito por um médico. No entanto, as mulheres estão 9 pontos percentuais mais propensas que os homens a optar por alterar sua dieta (79% das mulheres, contra 70% dos homens), enquanto os homens estão 6 pontos percentuais mais propensos a escolher o exercício físico (75% dos homens, contra 69% mulheres) para emagrecer. Quando se trata de mudanças na dieta para perder peso, mais mulheres estão reduzindo chocolates e açúcar (64% contra 58% dos homens) e comendo alimentos frescos mais naturais (60% contra 53% dos homens). Enquanto isso, mais homens estão reduzindo gorduras (66% contra 63% das mulheres) e seguindo um plano de dieta ”low-carb” (27% contra 23% das mulheres).
HÁBITOS SAUDÁVEIS
Além da perda de peso, muitos consumidores estão tomando medidas adicionais para melhorar sua saúde em geral. A maioria de ambos os sexos faz escolhas alimentares para ajudar a evitar certas condições, tais como obesidade, diabetes, colesterol alto e hipertensão. No entanto, os homens geralmente assumem um papel mais físico do que as mulheres quando se trata de estar em forma— mais de três quartos dos homens (77%) se exercitam ou praticam esportes em uma base regular, em comparação com 68% das mulheres.
No que se refere a compras de alimentos, ambos os sexos são igualmente propensos a escolher alternativas locais, naturais e orgânicas sempre que possível (77% cada). Homens e mulheres estão altamente conscientes do que estão comendo, com 75% dos homens e 76% das mulheres afirmandoo ler cuidadosamente rótulos com informações nutricionais.
No entanto, os homens parecem ser mais exigentes na escolha de onde compram, e estão mais dispostos a sacrificar o sabor para conseguirem o que querem. Um percentual maior de homens diz comprar principalmente alimentos em lojas especializadas que vendem uma grande variedade de alimentos saudáveis do que as mulheres (68% dos homens contra 60% das mulheres). E mais homens (65%) estão dispostos a sacrificar o gosto por uma opção mais saudável do que as mulheres (59%). Mulheres, por outro lado, são mais criteriosas, quando se trata de escolher os alimentos, com 71% acreditando que alimentos processados são insalubres, comparado com 65% dos homens.
ALIMENTOS FRESCOS
Então, quais fatores de saúde homens e mulheres estão à procura ou evitando quando compram comida
Enquanto todos os atributos de alimentos não são igualmente importantes para todos na hora da compra, aqueles com ingredientes naturais e sem organismos geneticamente modificados (OGM) são considerados muito importantes para 43% dos entrevistados globais — as maiores porcentagens dos 27 atributos analisados no estudo. Ainda que ambos os atributos estejam bem classificados entre homens e mulheres, eles são um pouco mais importantes para as mulheres do que homens.
Na verdade, geralmente as mulheres estão mais propensas que os homens a considerar atributos de saúde como importantes influências em suas compras. Em particular, atributos "menos é mais" — como aqueles que não possuem cores artificiais, sabores e baixa ou sem gordura, calorias, açúcar ou sal — são mais importantes para as mulheres que para os homens. Além disso, atributos saudáveis, tais como alimentos com ingredientes naturais e aqueles feitos com legumes, frutas e grãos integrais também são condutores mais importantes para hábitos de compra do público feminino que para o masculino.
Para que comerciantes, varejistas e anunciantes consigam atingir o consumidor de forma eficaz, é preciso entender como homens e mulheres percebem sua saúde de forma diferente, assim como suas escolhas de compras variam por conta disso.
METODOLOGIA
Este artigo se baseia no Estudo Global sobre Saúde e Bem-Estar, que foi realizado entre 13 de agosto e 5 de setembro de 2014 e entrevistou mais de 30.000 consumidores online em 60 países Ásia-Pacífico, Europa, América Latina, o Médio Oriente, África e América do Norte.