Posted by Dayane Iglesias |


Essa semana circulou em vários sites especializados um infográfico com “O perfil dos brasileiros nas redes sociais”, mas normalmente sem interpretações dos dados nele contidos. Vamos, portanto, analisar o que essas informações trazem de útil para nosso trabalho no dia-a-dia.

Infográfico - O perfil do brasileiro nas redes sociais - Clique para ver o tamanho completo!
90,8% dos internautas brasileiros acessam as redes sociais, e gastam em média 4,9 horas mensais nesses sites.
Atualmente, estima-se que o número de brasileiros conectados já tenha ultrapassado a casa de 80 milhões, ou seja, 72.640.000 são usuários de redes sociais. Grandes números, não? Porém, calculando a população geral do país de cerca de 194 milhões, ainda temos mais de 114.000.000 de pessoas off-line. Ainda há muito o que crescer os mercados de hospedagem, redes sociais, e-commerce, gadgets e computadores… e sobre as 4,9 horas mensais em média nas redes sociais, também é um valor muito baixo. Claro que há muitos usuários eventuais contribuindo para a queda dessa média, mas independente disso vejo mais um sinal de que o mercado tem ainda muito espaço para crescimento.
60% dos internautas brasileiros se inscreveram em alguma rede social nos últimos 3 meses.
Claro que o Facebook é o grande vencedor nessa corrida. Mas notaram que o Google+ está na cola? Isso se deve à adesão ~forçada~ dos usuários do Gmail à rede social do Google.
O Facebook é a rede social com mais usuários no momento. Viram quem está em segundo lugar? Nosso saudoso Orkut ainda está na frente do TwitterYouTube e Google+. O gráfico só não diz se essa conta é de usuários ativos ou apenas cadastrados (provavelmente, apenas cadastrados). Já na frequência de uso, quem some de cena é o G+, confirmando a informação do parágrafo anterior. Facebook ganha disparado.
58,7% dos acessos às redes sociais são de mulheres.
Nenhuma novidade aí. Elas são maioria nas redes sociais, no e-commerce, e em vários outros âmbitos da web.
Hábitos de compras: 2 a cada 3 falam das marcas que consomem nas redes sociais. Na maioria das vezes pra reclamar delas, fato! E vemos que para o uso de marcas o Facebook é mais efetivo, já que 74% dos seus usuários curtem alguma página institucional, enquanto apenas 54% dos Tuiteiros seguem o perfil de alguma marca.
56% usam smartphones e celulares para acessar a internet.
E grande parte desses usuários móveis são da classe C, o que significa novas oportunidades para links patrocinados voltados a essas plataformas, e-commerce e aplicativos, sem mencionar o mercado de aparelhos. Além disso, 68,5% acessam as redes sociais através de algum aplicativo, com o E-Buddy na ponta (35% – lembrando que este aplicativo é usado em sua maioria para acessar o MSN) e TweetDeck em segundo, com 31,9%.
No geral, podemos concluir que:
  1. O Facebook continua forte na liderança e a tendência é continuar assim por um bom tempo
  2. O Google+ tem muitos usuários cadastrados mas o principal benefício da sua utilização ainda fica na área do SEO
  3. O público feminino é maioria na internet e isso deve ditar algumas das várias tendências em social media a curto/ médio prazo (vide a ascensão meteórica do Pinterest impulsionada pelas roupas e pelas aficcionadas em moda)
  4. Os investimentos na área precisam ser intensificados, pois a margem de crescimento ainda é enorme – o Brasil ainda não atingiu metade do seu potencial na web
  5. O brasileiro está usando cada vez mais aplicativos para acessar a internet e as redes sociais nos dispositivos móveis. O perfil deste usuário amadurece rápido, mas a entrada de novos usuários equilibra a razão entre veteranos/ novatos na internet. Os nichos cresem junto, em todas as direções.
Rodrigo Soares – Coordenador de Marketing Digital na Agência Open