Posted by Dayane Iglesias |
Os motivos para o investimento em marketing digital pelas pequenas e médias empresas são muitos. Só no Brasil, o número de internautas ultrapassa 100 milhões, segundo pesquisa realizada pelo Ibope em 2013. De acordo com o Facebook, maior rede social em número de usuários no mundo, mais de 85 milhões de brasileiros estão conectados a esta mídia social.
De acordo com Fábio Esquárcio, diretor da Edeal Comunicação Digital, o marketing digital rompeu paradigmas até então pouco possível de serem quebrados. Um deles é o custo para se investir em campanhas de publicidade e propaganda. Em um passado não muito distante, para tal investimento era preciso dispender um esforço financeiro muito alto e, por isso, a presença nos meios de comunicação de massa era predominantemente das grandes empresas e multinacionais.
O especialista ressalta que, na era digital, as micro, pequenas e médias empesas podem investir nesta ferramenta, expondo sua marca com eficiência e destaque, e por vezes, ainda sair na frente de alguns de seus concorrentes de grande porte. “Isso, graças ao custo de investimento em um canal digital, como o Google, ou o Facebook, que é bem menor, se comparado investimento em uma campanha de publicidade e propaganda na TV aberta, por exemplo” salienta Esquárcio.
Tal mudança trouxe, ainda, um impacto muito forte na relação da marca com seu público, que está conectado durante quase todo o dia, e com acesso irrestrito via mobile. O que possibilita que essas empresas construam sua própria audiência, ao gerar seu próprio conteúdo em suas páginas e interagir com seus diferentes stakeholders de forma segmentada e individual. “Uma grande vantagem desse processo é a análise do comportamento do mercado e de seus concorrentes em uma velocidade sem precedentes”, recomenda.
Marketing digital não é tarefa para amador, seu primeiro passo é construir o site como se edifica uma unidade física, alerta Fábio Esquárcio. “O endereço virtual da empresa não pode ser apenas mais uma página da internet, pensada como um folder digital. O ideal é uma plataforma digital completa, com informações da empresa e também sobre seus serviços e/ou produtos, pensada estrategicamente como uma ferramenta de marketing e branding digital que traga resultados efetivos e mensuráveis”, reforça.

Esquárcio lembra que para além do site, é importante fortalecer a presença digital organizacional, por meio da atuação, ao menos, nos principais e mais conhecidos ambientes digitais, Google e redes sociais, conforme for o perfil de atuação da empresa.
As pequenas organizações que investem em marketing digital atualmente não têm feito um bom trabalho. Muitas ainda estão experimentando e testando as ferramentas de marketing digital, por não conhecerem as estratégias e os meios de comunicação virtual. “Por vezes, não sabem nem como contratar o serviço adequado ao seu negócio da forma apropriada. Há casos em que essa tarefa, que exige esforços de uma equipe multidisciplinar, fica a cargo de um único profissional de marketing efetivo da própria organização”, aponta.
Esquárcio pontua que, entre o empresariado, ainda há a velha ilusão de que um curso rápido de gestão de marketing digital capacita seu funcionário a assumir tamanha responsabilidade. “Os negócios de médio porte já estão um pouco à frente devido ao potencial de investimento um pouco mais substancial e ao maior tempo de experiência com as estratégias de comunicação e marketing de sua empresa”, esclarece.
“Mesmo assim, pelo que pude perceber até hoje em meus clientes ativos e em meu network, muitas delas ainda engatinham no marketing digital, pelo desconhecimento e contratação equivocada dos serviços”, explica.
Por Fábio Esquárcio, publicitário, pós-graduado em marketing digital. Via Lec Comunicação. Imagem via Shutterstock.