Posted by Dayane Iglesias |
Enquanto formas de pagamentos pelo celular como Apple Pay e Google Wallet se popularizam nos EUA, o Brasil avançou pouco nesse serviço. 
E quem parece que podem estar interessados no negócio são os bancos brasileiros. Segundo a Época, Bradesco, Itaú e Banco do Brasil estão negociando com a Apple a chegada do serviço ao país.
No entanto, se a entrada do tipo de pagamento se der pela opção da Apple, ainda demorará para a popularização do serviço. O Apple Play só está disponível para iPhone 6 ou 6 Plus, que custam mais de R$ 3.500.


Atualmente, quase 80% dos terminais de pagamentos da Cielo e Rede aceitam tecnologia NFC (Near Field Communication, ou Comunicação por Campo de Proximidade). Se os bancos começarem a aceitar a tecnologia, será um passo importante para implantação do sistema no país.
O sistema está disponível no Brasil, desde que o cartão tenha sido emitido nos EUA, onde a lista de bancos participantes é grande. As operadoras de cartões de crédito Mastercard e Visa criaram seus sistemas móveis de pagamentos – a primeira pelo app MasterPass, a segunda com a tecnologia payWave em cartões Ourocard do Banco do Brasil – mas nenhuma de grande destaque até agora.
Na medida que o Apple Play já domina 67% dos pagamentos móveis nos EUA, o Google busca uma forma de fortalecer seu serviço de pagamento, o Wallet.  A empresa de Mountain View está tentando desenvolver um sistema que utiliza o Bluetooth, tecnologia muito mais difundida que o NFC.
Com o codinome “Plaso”, o possível sucessor do Wallet usaria o Bluetooth para transmitir a presença nas lojas. O usuário se identificaria na loja com as iniciais para verificar a identidade. Após verificada, a loja autoriza a compra. Ainda não foi confirmado, mas algumas fontes teriam informado ao site The Information que o Google operaria um backend que conecta o usuárioa à loja, realizando a transferência e cobrando uma taxa pelo serviço.
Também há rumores de que o Google planeja comprar a empresa de pagamentos Softcard por até US$ 100 milhões com interesse nas patentes. A empresa foi formada pela união de três operadoras móveis americanas – AT&T, Verizon e T-Mobile.
Google e Apple já estão em nossos bolsos há muito tempo, mas parecem que querem mesmo são nossas carteiras.