Posted by Dayane Iglesias |
Quando o assunto é internet, muito se tem falado em deixar os sites com melhor navegação e usabilidade, facilitando a vida dos usuários e melhorando a sua experiência com a internet. Mas, e quando esse usuário tem algum tipo de deficiência visual, auditiva, física ou cognitiva? Nesse caso, a preocupação deve ser não só com a usabilidade, como também com acessibilidade.
A acessibilidade veio facilitar a vida de muitas pessoas que possuem limitações que antes as impediriam de realizar tarefas corriqueiras. Por exemplo, para um deficiente visual era muito difícil ou mesmo impossível ler um jornal sem a ajuda de outra pessoa. Hoje em dia, existem softwares que realizam a leitura dessas informações nos sites. Sair de sua casa e realizar uma compra em uma loja poderia ser um transtorno para um deficiente físico. Com o advento do e-commerce, com alguns cliques ele realiza a sua compra de forma muito mais prática.
Esses são alguns dos exemplos de como a acessibilidade na web tem se tornado uma importante ferramenta de inclusão digital. Milhões de pessoas portadoras de necessidades especiais podem se beneficiar de sites acessíveis. O grande problema enfrentado por esses usuários é encontrar sites que possuam tais mecanismos que permitam a experiência desejada.
Pensando nisso, existem órgãos preocupados em arranjar formas de alcançar a acessibilidade na web. Uma dessas instituições é a W3C. Por meio da Web Acessibility Initiative, o órgão regulamentador da web mundial criou uma série de diretrizes de como um site acessível deve se comportar. São quatro princípios básicos: perceptível, operável, compreensível e robusto.
Existem várias formas de se alcançar esses princípios. A seguir, algumas dicas que visam facilitar a vida do público para o qual a acessibilidade é imprescindível:
  • Estruturar o código-fonte dos sites de modo a facilitar a leitura pelos softwares para deficientes visuais;
  • criar legendas para as imagens e arquivos em flash apresentados nos sites;
  • criar mecanismos em que seja possível aumentar ou diminuir o tamanho da letra nos textos;
  • usar legendas nos vídeos apresentados nos sites;
  • criar layouts que tenham um bom contraste de cores e elementos apresentados;
  • permitir que os usuários possam usar outros elementos de navegação além do mouse;
  • inserir elementos e textos no site que sejam facilmente compreendidos pelos leitores.