Posted by Dayane Iglesias |


A vitrine é o primeiro contato do consumidor com o produto nas lojas de varejo. É ela que vai convidar o cliente a entrar e despertar nele o desejo de consumo. Portanto, é um elemento de marketing que interfere diretamente nas vendas e na lucratividade de um negócio.
Para Marcelo Ermini, professor de pós-graduação em comunicação no ponto de venda e trade marketing da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), uma vitrine bem trabalhada funciona como um anzol, que fisga a atenção do consumidor e o convida a entrar na loja. Caso esteja mal organizada, o cliente pode criar uma opinião e uma imagem de valor equivocadas sobre o estabelecimento. “A primeira impressão é a que fica. Se não for atraente, ninguém vai notar a loja”, afirma.O UOL consultou especialistas em marketing e varejo para desvendar os segredos das vitrines e estabelecer 10 passos essenciais para montá-las. Além da criatividade, é necessário  contar uma história com manequins e objetos que estiverem disponíveis para criar uma empatia com público e reproduzir cenas de seu cotidiano.

Confira 10 dicas para montar uma vitrine atraente


IDENTIDADE
A vitrine precisa refletir a identidade da loja. Por isso, deve ser fiel ao seu público e ao seu estilo. Se sua loja é focada em produtos finos, não faz sentido deixar as mercadorias de populares expostas e vice-versa.
Rogério Canella/UOL


RENOVAÇÃO
 Renove os produtos e a organização de sua vitrine com frequência. Não deixe passar de 15 dias. Se ficar muito tempo sem atualização, a loja passará despercebida pelos consumidores e será parte integrante da paisagem local.
Juliana Lopes/UOL 



ILUMINAÇÃO
Aproveite as luzes da loja para valorizar seu produto. O branco ajuda a combater a ação do sol, no caso das lojas de rua, e destacam a mercadoria. Tons amarelados dão um ar de sofisticação ao ambiente, mais indicados para estabelecimentos em shoppings e galerias.
  Tiziana Fabi/AFP


VARIEDADE
Exponha mercadorias diferentes, contrastando cores, mas dentro do estilo da sua loja. Você pode também variar as opções expostas por preço. Assim, você consegue agradar a um número maior de consumidores e aumentar a quantidade de peças adquiridas por eles. 
Rahman Roslan/The New York Times


COMPOSIÇÃO
Seja criativo, utilize tudo o que estiver ao se alcance. Crie ambiente, insira os manequins em uma situação do cotidiano, etc. As vitrines devem contar uma história e não apenas expor os produtos. 
AFP


PREÇO
Deixe os preços dos produtos bem visíveis para os consumidores. A omissão fere o Código de Defesa do Consumidor e pode causar constrangimento e desconforto ao cliente. Muitos podem deixar de entrar na loja se não souberem o valor do produto. 



COMUNICAÇÃO
Tenha clara a mensagem que quer passar. Se não souber onde quer chegar, não tente mudanças radicais em sua vitrine. Faça mudanças leves e fique atento à aceitação do público. 
Carolina Vasone/UOL


DECORAÇÃO
Aproveite datas comemorativas e estações do ano para promover uma decoração temática de sua vitrine. Isso ajudar a dar uma "cara" diferente à loja e cria uma empatia maior com o público.
Júlio César Guimarães/UOL


POLUIÇÃO
Não sobrecarregue as prateleiras com o máximo de produtos que couber. A vitrine não é o depósito da loja. Você pode demosntrar sua diversidade de mercadorias fazendo boas composições com as peças disponíveis. 
Divulgação

CONSERVAÇÃO 
Fique atento ao estado de conservação dos manequins expostos na vitrine. Substitua-os assim que notar rachaduras ou áreas descascadas. Um manequim em mal estado de conservação tira o foco do produto e o desvaloriza. 
Gabriel de Paiva / Agência O Globo 

Uma prática comum de muitas lojas é expor o máximo de produtos possíveis em suas prateleiras para mostrar sua diversidade de opções. Segundo Ermini, esta estratégia é equivocada e pode poluir o ambiente, além de confundir o consumidor. “A vitrine não é o depósito da loja”, declara.

Vitrines devem ser renovadas com frequência

A busca constante dos consumidores por novidades obriga os lojistas a estarem sempre atualizados com os produtos em exposição. Uma vitrine pode ser atraente num primeiro momento, mas depois de uma ou duas semanas ela se torna velha. Se não houver uma renovação, a loja passa despercebida pelos consumidores e torna-se uma peça integrante da paisagem local.
Na opinião de Wagner Campos, diretor da True Consultoria e especialista em varejo, uma vitrine deve ser atualizada em, no máximo, a cada 15 dias. Acima deste prazo, o risco de perder clientes é maior. “Se na sua casa aparece uma rachadura, você a percebe logo no primeiro dia. Depois de uma semana, você se acostuma, ela passa a fazer parte do ambiente e não é mais percebida. Com a vitrine é a mesma coisa, se não renovar, ninguém vai notá-la”, diz.
Para realizar esta renovação não é preciso investir muito, pode-se utilizar peças da mesma coleção, apenas alterando as cores e as combinações, assim como a posição dos manequins, os acessórios utilizados e o ambiente de fundo. Datas comemorativas e estações do ano também podem ser aproveitadas pelos lojistas para criar uma empatia maior com o público.

Manequins não podem parecer bonecos de filme de terror

O lojista deve ter um cuidado especial com a apresentação de seus manequins. Em lojas de rua, eles ficam expostos à ação do sol, além disso, há o desgaste natural do material que pode gerar rachaduras ou áreas descascadas. Em tais condições, o manequim deve ser substituído imediatamente ou pode desviar o foco do produto. “Ele não pode parecer boneco de filme de terror ou estar quebrado, isso desvaloriza a mercadoria”, afirma Campos.
Segundo o especialista, a iluminação também pode se comunicar com o consumidor. O branco ajuda a destacar o produto, já tons puxados para o amarelo dão um ar de sofisticação ao ambiente. “O branco é melhor para lojas de rua e combatem a ação do sol. Já os tons amarelados, são melhores para lojas em shoppings ou galerias, onde há um requinte maior”, diz.
Fonte: http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/03/19/monte-uma-vitrine-sedutora-em-10-passos.jhtm