Posted by Dayane Iglesias |

Buyout: para ajudara a analisar se vale a pena aquela fusão/aquisição.
Marketing: calcula a grana e tempo necessários para elaborar uma campanha em diversos segmentos.
Planilha de gastos: tabela bem completa que calcula gastos comuns do dia-a-dia em uma empresa.
Tabela de pagamento: organiza e estima os custos com colaboradores, incluindo banco de horas e taxas legais.
Análise corporativa – Uma boa para obter um panorama geral da empresa, incluindo os aspectos principais do fluxo de caixa, como pagamentos, custos, previsões e etc..
Capital inicial – Quanto você precisa para abrir o seu negócio? Esse modelo ajuda a colocar tudo no papel.
Análise de riscos – Essa aqui pode ser uma maneira para mensurar os riscos de apostar naquela ideia meio duvidosa, possibilitando comparação direta com desempenho e market-share da concorrência.
Fornecedores – Controle de pagamento, recebimento e fluxo de fornecedores.

*Caso você não tenha encontrado o modelo que precisa aqui, recomendo dar uma passada no Jax Works e no site do Matt Evans, que trazem VÁRIOS modelos para baixar
Posted by Dayane Iglesias |
Cool Hunter



A dinâmica de consumo faz com que haja uma busca constante pelo que será a próxima novidade. Por isso, as empresas têm procurado antecipar isso planejando o mercado com até cinco anos de antecedência. E é esse profissional que antecipa a tendência. Além do trabalho com a identificação das primeiras manifestações de tendências, o caçador de tendências também pode trabalhar com pesquisa ou análise dos fatos do presente para projetar as repercussões no futuro.
A especialização é procurada principalmente por estudantes de moda e design, além de profissionais de marketing e inovação, publicidade e jornalismo.  E como o cool hunter trabalha com a observação e fotografia,  deve estar sempre “antenado”. Por isso, um bom profissional da área precisa ser intuitivo e não ter preconceitos para poder pesquisar nichos de mercado.


Analista de redes sociais




Segundo pesquisa recente da consultoria Delloite, a carreira sofreu uma super valorização nos últimos meses: 55% das empresas já possuem um cargo voltado para essa área. Mas se você acha que para seguir carreira como analista de mídias sociais basta saber tudo sobre sites como Twitter, Facebook e Orkut, está enganado.
É preciso ter um perfil mais estratégico e voltado para o mundo dos negócios, para se destacar nessa área. O analista de mídias sociais precisa ainda entender muito de comportamento humano e da lógica dos negócios da empresa em que trabalha.

Especialistas em sustentabilidade

As empresas estão se tornando mais conscientes de sua responsabilidade ambiental e essa tendência se materializa em uma maior procura pelos chamados ‘profissionais verdes’. Estima-se que profissionais com inglês fluente e MBA ou mestrado especializado em meio ambiente recebam um salário até 25% maior do que pessoas que não se enquadrem neste perfil.

Segundo levantamento feito pelo Programa de Estudos do Futuro da Fundação Instituto de Administração (FIA-USP), entre as carreiras mais promissoras para a próxima década, o cargo de gerente de ecorrelações aparece em primeiro lugar.  Neste cargo, o especialista se comunica com os consumidores e desenvolve programas sustentáveis dentro da empresa.
Posted by Dayane Iglesias |



Google é uma das empresas mais cobiçadas no mercado de trabalho, mas pega pesado na hora de escolher as pessoas que irão compor seu time de colaboradores. Prova disso, é o grau de dificuldade de algumas das perguntas das entrevistas de emprego da empresa. Uma matéria da Exame.com selecionou as 12 questões mais cabeludas feita a candidatos que participaram do processo de seleção da corporação.
No final das contas, você vai perceber que ganha pontos quem se preparou durante avida toda para uma oportunidade dessas. Confira as lições que a entrevista de emprego do Google pode trazer para sua carreira:

1. O que é dois para a potência de 64? (Engenheiro de software)

Lição I: Não subestime os fundamentos
Quem não sabe nada de cálculos binários pensou mais do que duas vezes. Quem sabe, respondeu sem hesitar: dois é a base de 64 – o fundamento da tecnologia, já que tudo é processado na base 2. Aparentemente, a resposta pode ser simples, mas é capaz de revelar muito sobre o candidato: o profissional que tem a capacidade de recorrer à base de seu conhecimento pra resolver situações complexas é mais direto. Se ele não faz isso, pode até ser um bom técnico, mas não tem domínio do conhecimento.

2. Imagine um armário repleto de camisetas. É muito difícil encontrar uma camiseta nele. Então, como você organizaria o armário para encontrá-las facilmente? (Gerente de produto)

3. Projete um plano de evacuação para São Franscisco (Gerente de produto)

Lição II: Vá além do óbvio
As empresas buscam profissionais capazes de superar as expectativas para o cargo em questão. Eles querem gente que vá além dos conceitos que aprendeu nos bancos da faculdade, pós-graduação ou MBA. Isso fica evidente nas duas questões acima: em que circunstâncias um gerente de produto de uma empresa de tecnologia precisaria fazer um plano de evacuação de uma cidade ou organizar uma armário de camisetas? A chave da resposta não está nas funções do cargo em questão, mas  na capacidade do candidato para relacionar conceitos de diferentes áreas para a solução de problemas – um tipo de habilidade em alta para todas as funções.

4. Se você fosse o Gerente de Produto do Google Adwords, como faria um plano de marketing desse produto? (Gerente de marketing de produto)

5. Quem são os principais concorrentes do Google e como Google compete com eles?(Gerente de marketing de produto)

6. Se você fosse o gerente de marketing de produto do Gmail, como faria um plano de marketing para alcançar 100 milhões de clientes em seis meses?(Gerente de marketing de produto)

7. Quanto você acha que o Google fatura diariamente apenas com as propagandas no Gmail? (Gerente de marketing de produto)

Lição III: Saiba tudo sobre o negócio e o segmento de atuação da empresa
Todo mundo sabe que não deve ir a uma entrevista de emprego sem investigar a lógica de negócios da empresa. Mas somente entrar no site institucional dela pode não ser suficiente. As perguntas acima mostram que é preciso ter conhecimentos profundos sobre lógica de mercado e estrutura do segmento de atuação da empresa. Algo que uma busca rápida no Google não resolveria.
8. Você é o capitão de um navio pirata e sua tripulação fará uma votação para definir como o ouro será dividido. Se menos da metade dos piratas concordar com sua proposta, você será morto. Como você recomendaria um meio para dividir o ouro de forma a ganhar uma boa recompensa mas ao mesmo tempo sobreviver? (Engenheiro-chefe)

Lição IV: Líder, apesar do cargo

Mesmo sem ocupar um cargo de liderança, todo profissional precisa desenvolver essa característica, seja para se relacionar com um cliente, convencer o chefe de um novo projeto ou simplesmente lidar melhor com os colegas de trabalho. Você deve se perguntar constantemente sobre como levar as pessoas para o mesmo lado que o seu, como identificar qual a visão delas e alinhá-las.
9. Quantas bolas de golfe cabem em um ônibus escolar? (Gerente de produto)

Lição V: A capacidade de “se virar”

Na hora de tomar de decisões, quase sempre todas as variáveis não estão à mostra. Ou seja, você tem que agir, sem ter muita ideia do cenário completo. É a maneira como o candidato lida com situações assim que os recrutadores do Google tentaram identificar com essa pergunta. O fundamental é proatividade e bom senso, sem dar uma reposta absurda.

10. Explique, em três sentenças, o que é uma base de dados para seu primo de oito anos. (Gerente de produto)

11. Que método você usaria para encontrar uma palavra no dicionário? (Engenheiro de software)

12. Como você armazenaria 1 milhão de números telefônicos? (Engenheiro de software)

Lição VI: Use seus conhecimentos – sem complicar
Habilidade de comunicação é um requisito básico para qualquer profissão. Mas, de acordo com pesquisas recentes, essa é uma competência em baixa nos currículos de muitos profissionais por aí. A entrevista é o momento para você mostrar que foi além em sua carreira profissional. Quando você consegue ir além, fazer analogias, se comunicar melhor, mostrar-se interessado, isso gera um diferencial competitivo.

Fonte: Exame.com.
Posted by Dayane Iglesias |
Posted by Dayane Iglesias |