Posted by Dayane Iglesias |


Redes de relacionamento podem ser a principal porta de entrada para a vida profissional
Especialistas alertam, entretanto, que é preciso ter muito cuidado com os dados postados


As empresas brasileiras são as que mais utilizam sites e redes sociais na hora de contratar seus profissionais.
É o que aponta um estudo realizado pela empresa de recrutamento Robert Half, com 2.819 executivos em 13 países. No Brasil, 21% das empresas afirmaram que recorrem aos sites de relacionamento
no processo seletivo. Na Espanha, o segundo colocado, o percentual cai para 18%. Em seguida aparecem Itália e Holanda, com 13% cada. Já em países como Bélgica e República Tcheca, o uso das redes sociais no recrutamento é baixo, 5% e 1%, respectivamente.


“Hoje, é cada vez mais comum que as empresas façam esse tipo de pesquisa”, explica a gerente da divisão de Marketing e Vendas da Robert Half, Adriana Cambiaghi. Os profissionais de RH (Recursos Humanos)no Brasil são beneficiados pelo crescente número de pessoas que utilizam essas ferramentas. Uma pesquisa realizada pela consultoria Nielsen aponta que 86% dos brasileiros que utilizam a internet navegam em blogs e redes sociais. Prova disso é que o maior crescimento no número de usuários do Twitter foi na América Latina: 305%. No Brasil estão 20,5% dos twitteiros do planeta. Por isso, é importante que os brasileiros tomem cada vez mais cuidado com o conteúdo que é postado nessas redes. Ingressar em comunidades que não são bem vistas ou fazer comentários pejorativos podem eliminar as chances de conseguir
um novo emprego.
“Se o contratante percebe que as informações ou fotos postadas pelo candidato o desqualificam, isso pode gerar insegurança e a necessidade de busca por novas referências ou, até mesmo, por um novo candidato”, disse Adriana. Apesar do uso dessa tecnologia nos processos de seleção, a indicação ainda é o método mais utilizado para contratar no Brasil, com 60% da preferência. Em seguida, está o recrutamento por meio de anúncios de vagas em jornais, com 29%.



Ter um perfil no Twitter, Facebook ou LinkedIn pode ser uma ferramenta eficaz para conhecer pessoas de interesses em comum, estabelecer uma rede de relacionamento para manter contato com profissionais da mesma área ou com outras empresas e até mesmo para apresentar e divulgar seus trabalhos.
“As redes de relacionamento estão se tornando cada vez mais a chave de sucesso na carreira de alguns profissionais e, também, podem ser a porta de entrada para o mercado de trabalho”, afirma Adriana Cambiaghi, da Robert Half.
O headhunter e executive coach, Ricardo Porto, destaca que é impossível mensurar a revolução que a internet causou, desde sua criação, tornando-se essencial na vida das pessoas.
“Recentemente, a grande descoberta dos candidatos a uma vaga no mercado de trabalho foram as redes de relacionamento e mídias sociais”, diz. Ele destaca, entretanto, que a ação de expor um conteúdo na internet demanda análise e cuidado, tanto com o teor das informações como na forma, gramática e apresentação, para que seja realmente efetivo. CM







Fonte: Jornal Metro (13/08/2010)