Posted by Dayane Iglesias |

Já parou pra pensar em todos os dados e linhas de código que estao por trás de cada tweet que você envia? Entao veja como é um tweet 'nos bastidores' :-) Do

brandflakesforbreakfast


Posted by Dayane Iglesias |


Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: "Digam o que disserem,
o mal do século é a solidão" Pretensiosamente digo que assino embaixo sem
dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos
os dias.

Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e
transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e
saem sozinhas.

Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram
sucesso profissional e, sozinhos. Tem mulher contratando homem para dançar
com elas em bailes, os novíssimos "personal dance", incrível. E não é só
isso não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvída?

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem
necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta
olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão
"apenas" dormirem abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa
marcha de uma evolução cega. Pode fazer tudo, desde que não interrompa a
carreira, a produção.

Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como
voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão
distante de nós.

Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos
ORKUT, o número que comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu
sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra ser sozinho!"

Unindo milhares ou melhor milhões de solitários em meio a uma multidão de
rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada
dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão
infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que
verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa
verdade de cara limpa.

Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé,
brega. Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer
ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, "pague
mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou
mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai
embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje
por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a
oportunidade de um sorriso à dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que se um
problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê
pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou
uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que
realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não
pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra
alguém:
"vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou
quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique
comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida
".

Antes idiota que infeliz!

(Arnaldo Jabor)
Posted by Dayane Iglesias |

Pesquisa do Ibope Media aponta que o público feminino dá preferência a itens de vestuários e usa a internet para pesquisar sobre produtos





Uma pesquisa realizada pelo Ibope Media mostra que um velho hábito das mulheres não mudou: elas continuam comprando - e gastando - mais do que os homens.

Segundo dados obtidos pela ferramenta Target Group Index, utilizada pelo instituto de pesquisas, 67% das mulheres entrevistadas declararam ter feito compras pessoais nos últimos 30 dias. Nesse quesito, estão excluídas a compras de alimentos e de bebidas. A mesma pergunta foi realizada para os homens e, nesse caso, a porcentagem dos que declararam ter comprado um item pessoal nos últimos 30 dias caiu para 58%.

E o vestuário continua sendo uma das maiores preocupações das consumidoras. Do total das entrevistadas que afirma ter feito compras no último mês, 78% assumem ter comprado roupas femininas. Já 43% delas relatam ter adquirido itens de vestuário masculino, enquanto 39% afirmam terem investido seu dinheiro em roupas para crianças e bebês. E, para comprar esses produtos, essas mulheres dão preferências às lojas de rua (48%) e aos shoppings (33%).

As consumidoras também mostram que a internet é uma importante aliada na hora de obter informações sobre algum produto que desejam adquirir. Cerca de 10% das entrevistadas respondeu que recorre à web para tirar dúvidas sobre marcas e produtos, sobretudo a respeito de telefones celulares, equipamentos de TV, vídeo, som, roupas vida saudável, alimentação e exercícios.

A pesquisa realizada pelo ibope foi apurada entre os meses de agosto de 2008 e setembro de 2009 e contou com a participação de 19.456 pessoas.

Posted by Dayane Iglesias |
Rosa já não é mais a cor preferida da Disney. Depois do fraco desempenho de 'A Princesa e o Sapo' nas bilheterias, a companhia resolveu reinventar um conto clássico dos irmãos Grimm. A nova versão de Rapunzel, prevista para chegar aos cinemas em novembro, vai se chamar 'Tangled' – algo como 'emaranhado', 'complicado' – em referência às tranças da mocinha mas também ao relacionamento entre os 2 personagens principais. O príncipe dessa vez ganha espaço como um fanfarrão ligeiramente mau caráter. Com as alterações, a Disney espera atingir o mesmo sucesso dos filmes da Pixar, que agradam a meninos, meninas e adultos. Notícia do LATimes.
Posted by Dayane Iglesias |

A bola da vez é investir em atitude de marca, mas até que ponto isso gera decisões no ponto-de-venda? Investimentos em atitude de marca podem ser um tiro no pé se a empresa não estiver atenta à nova atitude do consumidor e ao novo grupo de consumidores que se forma hoje no mercado brasileiro.


As empresas estão viciadas em seduzir o consumidor por meio de campanhas multimilionárias no horário nobre, mas abandonaram o PDV. A marca deve mostrar sua atitude no PDV, onde a maioria das decisões de compra são tomadas.


Um dos melhores caminhos é gerar experiência de marca por intermédio de marketing sensorial e interativo, seduzindo o consumidor a interagir com a marca e com seus produtos. Inovação, sedução e valor podem estar agregados à praticidade e interatividade. O residual dessa experiência gera resultados tanto imediatos como de longo prazo, aproximando o consumidor da marca.

Infelizmente, o marketing no Brasil ainda considera “10 x sem juros” suficiente para gerar consumidores fiéis a uma marca, e pensa muito pouco em inovar. Em um mercado no qual interatividade se resume a um site bem feito, idéias inovadoras que levam interatividade para o espaço físico ainda parecem coisa de outro mundo. Poderiam até ser idéias de outro mundo se ações interativas no PDV em países da Europa e nos Estados Unidos não tivessem aumentado em mais de 60% o fluxo nas lojas e em até 40% a venda dos produtos. Interatividade vai muito além de um clique!

Conquistar o consumidor não é um bicho de sete cabeças. Mudar a visão ultrapassada de consumidor é que está cada vez mais difícil. O marketing das empresas precisa romper com a idéia de consumidor das últimas décadas. Afinal, o poder de decisão do consumidor atual é apenas o resultado do que o próprio mercado ofereceu para ele nos últimos dez anos.


Fonte: Mundo do Marketing